Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Em escola da zona sul, biblioteca está fechada há dois anos

Por Blog

Por Suevelin Cinti

Na escola estadual David Zeiger, no bairro Jardim Maria Amália (zona sul de SP), as aulas voltaram em 1º de fevereiro, mas uma sala em especial permaneceu fechada: a biblioteca.

Sem funcionar desde 2010, o acervo de cerca de quatro mil livros, que vão de clássicos da literatura às pequenas coleções de estudos especializados, está indisponível aos alunos.

A escola atende em torno de 1.500 alunos, que cursam o ensino fundamental, o médio e o supletivo.

A estudante do 2º ano médio Carolina Albuquerque Ribeiro, 15, é uma entre os estudantes que já precisaram consultar livros para trabalhos, mas encontram ‘a Biblioteca do David’, como é conhecida, trancada.

“Na época, a gente precisava de livros de português e a biblioteca estava uma bagunça. Nós arrumamos, mas a diretoria não deixava emprestar. E por que comprar livros se a escola tem? Eram muitos trabalhos de consulta, e a biblioteca tinha o que a gente precisava”, afirma Carolina.

Ela conta que, depois de mostrar interesse em trabalhar voluntariamente na biblioteca, a direção da escola permitiu que, sob sua responsabilidade e de uma colega, os livros fossem emprestados aos alunos.

Num caderno, Carol e a amiga anotavam todos os exemplares retirados e, quando devolvidos, faziam o controle. “Os alunos que não devolviam, a gente ia de sala em sala cobrar”, revela, contente pela iniciativa.

Nos últimos três anos, a biblioteca se mudou para o piso de baixo do prédio da escola e, com o decorrer dos meses, voltou para o piso principal, transferida para antiga sala de informática.

Em 2010, após Carol deixar o trabalho voluntário, o espaço novamente foi fechado.

“Na minha turma ninguém vai à biblioteca. Acredito que há alunos que sequer saibam da existência da biblioteca. E os novos livros que chegam são automaticamente estocados naquela bagunça”, afirma, decepcionada.

 

Suevelin Cinti, 20, é correspondente de Parelheiros.
@suevelincinti
suevelin.mural@gmail.com

Blogs da Folha