Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Alunos da Unifesp Guarulhos entram em greve

Por Blog

Por Leandro Machado

Os estudantes do campus Guarulhos da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) decidiram entrar em greve em uma assembleia realizada na quinta-feira à noite, no teatro da unidade.

As atividades estudantis estão suspensas até a realização de uma nova reunião, que deve acontecer na semana que vem.

O campus fica no bairro dos Pimentas, na periferia de Guarulhos, cidade da Grande São Paulo. São ministrados os cursos de história, letras, ciências sociais, filosofia, pedagogia e história da arte.

Entre as reivindicações, estão melhorias no restaurante do campus, no transporte e a construção de moradias estudantis.

Atualmente, a universidade disponibiliza cinco ônibus fretados gratuitos para os alunos que não moram na cidade. Os veículos saem de Itaquera, na zona leste de São Paulo, e vão até o campus.

As filas para embarcar são enormes e, com o grande número de alunos, os ônibus saem cheios, com estudantes viajando em pé.

“É ridículo, os ônibus já não eram o bastante no ano passado. Agora, com a entrada de mais 600 alunos, ficou ainda pior, quem chega para pegar o ônibus das 18h não consegue chegar no horário na aula”, diz Italo Jorge, 25, aluno do 2º ano de letras.

Edson Lopes, 23, também de letras, mora no Capão Redondo, bairro da zona sul. Ele demora três horas para chegar à Unifesp. “Já esperei o fretado até às 20h. Perdi a aula”, conta.

Os estudantes também reclamam da estrutura do campus, cujo prédio principal ainda não foi construído. “A universidade não tem espaço suficiente para acomodar seus alunos. Por falta de salas, algumas aulas são dadas no CEU [Centro de Educação Unificado, que fica ao lado da universidade]. Livros e mais livros são amontoados em caixas por não ter espaço na biblioteca”, reclama Jocarla Gomes, 26, aluna de história da arte.

“Os banheiros são bem ruins também. E o acesso para as pessoas com deficiência é bem precário, com apenas um local para chegar ao segundo andar”, diz Danilo Dal Seno, 23, estudante de filosofia.

Ontem à tarde, o Mural procurou a assessoria de imprensa da Unifesp por telefone, mas não obteve resposta.

 

Leandro Machado, 23, é correspondente de Ferraz de Vasconcelos.
@machadoleandro
leandro.machado@grupofolha.com.br

Blogs da Folha