Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Depois de 40 anos, prédios abandonados serão demolidos em Osasco

Por Blog

Por Paulo Talarico

Três prédios de doze andares em uma área de 19 mil metros quadrados, com cerca de 200 apartamentos, serão demolidos em Osasco, na Grande São Paulo. Abandonados há quase 40 anos, nenhuma pessoa jamais morou nas unidades, apesar de moradores terem adquirido os imóveis. Essa é a história do Residencial Nova Grécia, situado entre o rio Tietê e o centro da cidade – no Jardim Bonfim.

Um plano de demolição manual e a construção de um novo condomínio foram apresentados ontem (21), pela Secretaria Municipal de Habitação, na sede da Associação Comercial e Empresarial de Osasco. No lugar, dois novos prédios de 19 andares, com 450 apartamentos em cada bloco, serão construídos pela Urbanizadora Continental.

Iniciados em 1974, os prédios foram construídos, mas parte deles invadiu uma área da prefeitura, o que levou ao embargo da obra. Desde então, um imbróglio judicial e problemas financeiros da urbanizadora deixaram as estruturas abandonadas.

Prédios ao lado das casas. Alguns moradores demonstraram receio com os processos de demolição

“Eu tive amigos na época que compraram aqui e hoje perderam tudo”, conta o aposentado Luiz Alberto Andrade, 59. “Um monte de gente morreu e nós ainda estamos na luta. Existe um processo em vigência. Vai demolir, tudo bem. Mas e nós, como é que fica?”, questiona a autônoma Sandra Suely Veiga de Freitas, 58, uma das compradoras do Residencial Nova Grécia.

Ela começou a pagar o apartamento ainda em 1974, porém, quando chegou o momento da entrega das chaves, a obra tinha sido embargada. Ao lado dela, outras 13 famílias ainda brigam na justiça pelo ressarcimento. No fim da solenidade sobre as novas obras, o diretor da Urbanizadora Continental, Alberto Ajzental, marcou um encontro com os antigos proprietários. “Eu fiquei satisfeita. Agora acredito que vai ter uma solução”, afirma Sandra.

Primeira parte da demolição manual será a retirada de equipamentos internos como elevadores

Enquanto a demolição não ocorre, os moradores do bairro do Jardim Bonfim sofrem com o abandono da obra. “Os edifícios atrapalham muito, pois têm muito bicho, ratos, morcegos e pombos”, relata o aposentado Carlos Dias Netto, 65, morador há 41 anos da região. “Quando o pessoal vem ver se tem foco de dengue, eu deixo entrar na minha casa, mas questiono: ‘Aqui não tem, mas e lá? Lá vocês não vão, né?’”.

Para a também aposentada Ivonete Alves, 52, a revitalização do espaço deve dar mais segurança à região, principalmente, se o local for utilizado para moradia. “Se arrumarem, a gente vai ter mais segurança, pois com mais pessoas por aqui, teremos circulação na praça. Hoje, a minha filha não vai sozinha para a escola”, comenta.

A demolição deve durar “alguns meses” e será feita passo a passo, para não afetar os moradores do Jardim Bonfim, receio já apresentado por alguns habitantes. A obra também faz parte da Operação Urbana Consorciada Tietê, que pretende revitalizar o centro de Osasco.

 
Paulo Talarico, 22, é correspondente de Osasco.
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Blogs da Folha