Em reforma prevista para 180 dias, a Casa de Cultura da Penha continua fechada após dois anos

Por izabela moi

Por Marina Lopes

 

A reforma da Casa de Cultura da Penha foi iniciada em junho de 2010, a cargo da construtora Lima de Castro Engenharia e Montagem, com um investimento de R$ 2,3 milhões, prevendo a instalação de elevador, banheiros acessíveis, renovação geral do teatro, instalação de um telecentro, além de estúdios de gravação e montagem.

A casa, da qual fazem parte o teatro Martins Penna, a biblioteca José Paulo Paes e várias salas para atividades culturais, foi fundada em 1970, idealizada e requisitada por 50 mil assinaturas de moradores do bairro da Penha, região leste de São Paulo.

 

A placa da obra prevê uma duração de 180 dias

 

Francisco Ferreira, 55, produtor cultural e morador da região desde o nascimento, conta que, na época, seus pais assinaram a petição por uma biblioteca, já que a mais próxima era no Tatuapé.

A biblioteca, fechada pelas obras, permanece sendo a única opção municipal do bairro. “Além de retirar livros, as pessoas conseguiam estudar lá sem precisar se deslocar para lugares mais distantes”, afirma a estagiária em nutrição Bárbara Nogueira, 22.

 

Existem fios soltos dentro do local

 

Ero Yamamoto, 19, usuário do local, foi pego de surpresa com o fechamento, mesmo tendo livros em empréstimo ainda dentro do prazo. Segundo ele, algumas obras ele nem conseguiu entregar. Assim como ele, outras pessoas continuaram com livros da biblioteca, sem saber o que fazer e sem nunca terem recebido um comunicado explicando como proceder.

No prédio também ocorriam aulas de música do Projeto Guri. Fábio Fiori, 20, frequentava o grupo antes  da reforma. “Com o fechamento, os ensaios pararam por dois meses até arrumarmos outro espaço”, diz. Entretanto, o grupo de teatro que ensaiava lá não teve a mesma sorte e parou com suas atividades.

Vários moradores já protestaram em redes sociais sobre a demora das obras. O instrutor de informática Armando Pereira, 47, foi o responsável pela divulgação de uma foto no Facebook contando a situação e iniciando a campanha. A imagem foi compartilhada na rede por 553 pessoas.

Armando mostrou para o Mural um e-mail que encaminhou em maio do ano passado para a prefeitura cobrando esclarecimentos. Segundo a resposta da Supervisão de Bibliotecas, a obra passou do prazo por problemas surgidos durante a gestão e seria finalizada em outubro de 2011.

A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Cultura foi procurada para prestar esclarecimentos e afirmou que o local irá reabrir ainda neste ano, porém não informou previsão de data.

Entrada da Casa de Cultura continua fechada após dois anos

 

Para quem quiser conferir, a Casa de Cultura da Penha fica bem no centro do bairro, em um dos locais mais movimentados: Largo do Rosário, 20.

Marina Lopes, 20, é correspondente da Penha.
@marina_lopesmf
marinalopes.mural@gmail.com