Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Novas lixeiras invadem a periferia de São Paulo

Por izabela moi

Por Aline Kátia Melo, Dalton Assis, Francine Mantovani e Vander Ramos

 

O lixo é um grande problema da cidade de São Paulo, e parece que alguém se lembrou disso.

Recentemente, novas lixeiras chegaram a lugares onde nunca haviam sido instaladas antes, como os postes de luz. Algumas possuem faixas reflexivas que brilham no escuro (como os uniformes dos garis).

Maria Pereira, 39, é faxineira de uma padaria e moradora da Pedra Branca, zona norte da capital. “Notei uma diminuição significativa na sujeira das ruas. Para mim essa implantação foi muito positiva e deveria ter acontecido já há muito tempo”, diz.

Lixeira instalada em poste no bairro da Pedra Branca, zona norte de São Paulo

Na Jova Rural, outro bairro da periferia da zona norte, Dora Elena Mognezzi, 50, moradora do bairro há mais de quinze anos, diz que nunca tinha visto lixeiras por lá.

“Gostei de terem colocado as lixeiras, mas acho que deveria ter coleta seletiva por aqui, nem que fosse ao menos uma vez por semana. Tem um posto longe daqui ao metrô Parada Inglesa, mas não tenho condições de levar o lixo até lá. Falam tanto de preservar o meio ambiente, mas não incentivam coleta na periferia”, desabafa.

 

Nova lixeira em rua do bairro Jova Rural, na zona norte (e entulho acumulado ao lado)

Os postes das principais vias dos bairros do Itaim Paulista e São Miguel Paulista, zona leste,  também receberam novas lixeiras. Segundo contagem feita pela reportagem do Mural, ao longo da av. Marechal Tito, que liga os dois bairros, ao menos 180 lixeiras estão agora à disposição dos pedestres. A cada dois postes encontramos uma lixeira em boas condições de uso.

O pequeno recepiente verde não tem sinalização de faixa refletiva e nem estão na altura das pessoas que necessitam de cadeiras de rodas, como em bairros centrais de São Paulo.

A rua João Vieira, ao lado do cemitério da Saudade em São Miguel Paulista, tem pouco movimento de pessoas. Mesmo assim foram instaladas cinco novas lixeiras. Segundo o mecânico Júlio Simão Tavares, 54, antes não havia lixeiras. “Quando reparei, me dei conta que na rua tinha lixeiras novinhas, mas aqui são poucas pessoas que passam e vai demorar muito para acumular lixo”.

 

Lixeira instalada na rua João Vieira, em São Miguel Paulista, na zona leste

 

O comerciante Marcelo Munhoz, 36, mora no Capão Redondo, na zona sul de São Paulo, diz que ficou surpreso em ver lixeiras instaladas nos postes do bairro.

“Foi uma ideia ótima colocarem estes cestos de lixo na periferia. As ruas e calçadas ficaram mais limpas. A única coisa ruim é saber que isso só aconteceu por conta das eleições. Agora está bonito, os coletores de lixo estão sempre por aqui cuidando da limpeza, mas depois que passar tudo isso, voltará a mesma sujeira de sempre no bairro”, afirma.

Lixeira recentemente instalada em rua no Capão Redondo, zona sul da capital

 

 

Aline Kátia Melo, 29, é correspondente da Jova Rural.
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com

Dalton Assis, 24, é correspondente do Capão Redondo.
@daltonassis
dalton.mural@gmail.com

Francine Mantovani, 28, é correspondente da Pedra Branca.
@franmantovani
francine.mural@gmail.com

Vander Ramos, 51, é correspondente do Itaim Paulista.
@vander521
vander.mural@gmail.com

Blogs da Folha