Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Em Osasco, obras de prédios da CDHU recomeçam após cinco anos paralisadas

Por izabela moi

Por Paulo Talarico e Rafael Balago
Depois de cinco anos de obras paralisadas, um conjunto de 480 apartamentos da CDHU na Vila dos Remédios, zona norte de Osasco (Grande São Paulo), tem pessoas na janela. Ainda não são os moradores, mas operários que dão o acabamento em um projeto iniciado há 13 anos.

 

Os condomínios pertencem à segunda fase do conjunto Terra Esperança. As famílias que iriam receber as casas foram escolhidas em 1999 e a maioria delas ainda espera.

“Parte desistiu porque conseguiu um imóvel de outro modo. Teve gente que morreu enquanto esperava”, conta Maria Helena de Jesus, presidente de uma das associações que integram o movimento Terra Esperança.

 


Em 2006, quando os prédios já estavam de pé e faltava apenas o acabamento com a colocação de portas, janelas e pintura, as obras foram paralisadas. Foi descoberto que havia acúmulo de gás metano no terreno, que havia sido usado anteriormente para o descarte de lixo.

Nos anos seguintes, um sistema de drenagem e de monitoramento dos gases foi implementado pela Cetesb e, no início deste ano, as obras puderam ser retomadas. Foi preciso uma nova licitação para contratar a empresa que terminaria o trabalho, o que atrasou ainda mais o processo.

 


Ao todo, o conjunto será formado por 960 apartamentos, sendo que metade já foi entregue no final dos anos 90.

“Era campo que tinha ali, antes estava tudo vazio”, lembra o aposentado Odenildo Tenório da Silva, 53, que ajudou na construção dos condomínios e mora na parte concluída do Terra Esperança.

Nas ruas próximas, os moradores fazem planos para a chegada dos novos vizinhos. A expectativa é que a região se valorize e que o aumento da circulação de pessoas possibilite a abertura de pontos comerciais.

“Penso em derrubar esta casa e fazer um salão com uma moradia em cima. O salão pode virar uma pizzaria ou lanchonete”, conta o representante comercial Sidnei Nunes de Oliveira, 57, morador da região há 40 anos.

Para ele, o bairro também pode receber outras melhorias. “Quando chove, essa rua aqui entope tudo.”

 


A associação Terra Esperança espera que as casas sejam entregues no início de 2013, mas a CDHU informou a conclusão depende ainda das “recomendações e exigências da Cetesb”.

Paulo Talarico, 22, é correspondente de Osasco.
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Rafael Balago, 23, é correspondente de Pirituba
@rafaellbalago
rafaelbalago.mural@gmail.com

Blogs da Folha