Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Grupo de moradores pede campus da Unifesp na zona leste

Por Blog

Por Lívia Lima

Há quatro anos um grupo de moradores da zona leste da cidade está realizando uma campanha para mobilizar a Prefeitura de São Paulo a colaborar com a instalação de um campus da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) na região.

O “Movimento em prol da universidade federal da zona leste” inicialmente pressionou a administração do município a definir onde seria possível construir o campus. Desde 2010, o grupo pede que seja feita a compra do terreno de uma antiga indústria na avenida Jacu-Pêssego.

O governo federal, responsável pela construção e administração da universidade, fechou um acordo com a Prefeitura, que ficou encarregada da compra do terreno.

“O espaço está praticamente pronto, o prédio tem 28 mil metros de construção. Tem tudo para dar certo”, afirma o líder do movimento, Antonio Marchioni, o padre “Ticão”, da paróquia São Francisco de Assis, de Ermelino Matarazzo.

Segundo Ticão, a verba para a compra da área, que tem cerca de 175 mil metros quadrados, já foi reservada. Eles protestam para que seja feito o depósito, garantindo a aquisição do espaço, que já foi decretado de interesse público.

Em 18/8, moradores fizeram uma manifestação em frente ao terreno que pode sediar Unifesp

A Prefeitura não afirma que o dinheiro já esteja liberado. De acordo com a assessoria de imprensa, as negociações para a desapropriação do terreno estão em fase final, e o laudo de avaliação do imóvel expropriado foi aceito em juízo.

A zona leste de São Paulo possui mais de quatro milhões de moradores e é a mais populosa da cidade. Apesar disso, apenas duas universidades públicas funcionam na região, a Escola de Ciências, Artes e Humanidade da USP, e a Fatec Leste.

“Uma universidade do lado de casa é incentivo aos jovens, acesso à arte, à cultura, à educação, à política”, afirma o apoiador do movimento Eduardo Brasileiro, morador de Itaquera e estudante de sociologia em uma faculdade do centro da cidade.

 

Lívia Lima, 25, é correspondente de Artur Alvim.
@livialimasilva
livia.mural@gmail.com

Blogs da Folha