Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Vereadores ligados ao Campo Limpo não aprovaram projetos de impacto para a região

Por Blog

Por Patrícia Silva e Karol Coelho

Nas eleições de 2008, dos cinco vereadores mais votados pelos moradores do Campo Limpo, quatro foram eleitos: Antonio Carlos Rodrigues (PR), Donato (PT), Netinho de Paula (PCdoB) e Arselino Tatto (PT). Todos têm como reduto eleitoral o bairro da zona sul de São Paulo.

Neste ano, eles concorrem novamente ao cargo.

O Mural procurou os projetos dos vereadores direcionados ao local e colheu dos eleitores a opinião sobre o trabalho dos candidatos. Não foram avaliados, no entanto, a participação dos vereadores em comissões, a fiscalização do Executivo ou a presença em sessões.

A denominação de ruas, travessas, vielas e escolas estão entre as leis mais aprovados no período. “Eu acho que deveriam criar ações que interferissem mais em nossas vidas”, diz o poeta e morador do Jardim Paris, Djalma Pereira da Silva.

Divisa do bairro do Campo Limpo com a cidade de Taboão da Serra (Grande SP)

Com 21 projetos aprovados em seu primeiro mandato, segundo o site da Câmara Municipal, o candidato Netinho de Paula não criou nenhuma proposta ligada, diretamente, ao bairro da zona sul.

“Acho que nenhum vereador fez algo para região. Eles só prometem. Deveriam investir em educação e em postos de saúde”, diz a moradora do Jardim Mitsutani, Vera Lucia de Sousa.

O vereador Donato conta com 36 projetos no período de 2005 a 2012. Para região, o parlamentar criou duas leis: a denominação de um Centro Educacional Unificado (CEU) e uma homenagem ao Centro Integrado de Educação de Jovens e Adultos (CIEJA).

Donato afirma que a denominação do CEU foi solicitada pela população, enquanto a homenagem ao CIEJA, no Capão Redondo, ocorreu em função dos serviços prestados pela escola.

Rua Dr. Hugo Lacorte Vitale: cartazes de vereadores tomam a região

Arselino Tatto foi autor de 66 leis nos últimos 17 anos.  No entanto, apenas três projetos têm ligação com o bairro: a designação de duas vielas no Jardim Ipê e a nomeação de uma Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF).

“Aqui o problema é transporte, saúde e segurança. O Campo Limpo está esquecido. Professor não quer dar aula aqui, médico não quer atender porque acha o local perigoso”, destaca a pedagoga Katia Cristina Santana de Oliveira, 45, moradora do Jardim Umarizal.

Com 200 projetos em três mandatos, Antonio Carlos Rodrigues foi o vereador mais votado no Campo Limpo em 2008, com 8.173 votos. Entre as leis para o bairro, se concentram as denominações de travessas, escolas e praças, a criação do Dia de Campo Limpo e a realização do Carnaval de Rua do bairro.

“Uma data para região é muito importante, pois valoriza o lugar. Eu acho que as leis criadas deveriam ser passadas na propaganda eleitoral”, acrescenta Katia.

O morador do Jardim Ana Maria, José Henrique Barbosa, 20, já decidiu que, assim como em 2008, vai anular seu voto. “Um candidato tem de estar sempre presente. É uma necessidade básica”.

Outro lado

Ao Mural, o vereador Donato disse que incluiu na Lei Orçamentária emendas que beneficiaram o Campo Limpo e que lutou para canalização do córrego Pirajussara, urbanização de favelas, dentre outros projetos. Ele também afirma que teve uma atuação muito forte na fiscalização do Executivo, na comissão de finanças, no plenário e nas ruas.

O vereador Antonio Carlos Rodrigues informou que “todo cidadão tem o direito de residir numa rua que tenha nome, número e CEP”, pois “isso dá dignidade às pessoas”. Rodrigues diz, ainda, que solicitou à Prefeitura e Subprefeitura a implantação de CEUs, escolas, Amas e UBS na região, e que contribuiu para reurbanização do Jardim Olinda e do Parque Fernanda.

Já o parlamentar Netinho de Paula destaca que também criou o Passe Livre para estudantes do ProUni e que fez propostas para garantir no orçamento municipal recursos às políticas de juventude, esporte, cultura, saúde e educação. Ele ressalta que fez parte da Comissão Extraordinária de Defesa dos Direitos da Criança, do Adolescente e da Juventude, sendo por um ano presidente, e que hoje faz parte da Comissão de Educação da Câmara.

O vereador Arselino Tatto não respondeu ao Mural.

 

Karol Coelho, 20, é correspondente do Campo Limpo.
@karolcoelho_
karol.mural@gmail.com

Patrícia Silva, 23, é correspondente do Campo Limpo.
@Patricia_Aps
patriciasilva.mural@gmail.com

Blogs da Folha