Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Serra fala de suas propostas para a periferia

Por Blog

Por Flavio Munhoz

O blog Mural, que em novembro completará dois anos hospedado na Folha, ouviu sete candidatos a prefeito de São Paulo sobre alguns temas relacionados às periferias da cidade. As perguntas são as mesmas para todos os candidatos.

Nesta sexta-feira é a vez de José Serra (PSDB), que respondeu por e-mail.

Mural – Grande parte dos equipamentos culturais públicos está na região central. Você tem algum projeto para levar mais equipamentos culturais para as periferias da cidade?

José Serra – Em parceria com o governo do Estado, vamos implantar cinco polos culturais na cidade – um em cada macrorregião – composto de um CCJ (Centro Cultural de Juventude) e o conjunto de uma Casa de Cultura por distrito. Também vamos criar mais três bibliotecas nos moldes da Biblioteca de São Paulo, que tem equipamentos e instalações que permitem o acesso à leitura a deficientes físicos, em especial os deficientes visuais. Além disso, pretendemos expandir os Pontos de Leitura, minibibliotecas, os Bosques de Leitura e ampliar a frota de Ônibus-Biblioteca. Outra iniciativa será fortalecer o programa de Valorização de Iniciativas Culturais (VAI), apoiando grupos artísticos e de comunidades que organizam atividades culturais.

 

Com o crescimento do número de carros da cidade, o trânsito nos bairros da periferia piorou também. Em alguns casos, os dados sequer são medidos pela CET. Você tem alguma proposta para enfrentar esse problema?

Investir fortemente para ajudar o governo do Estado na expansão do transporte sobre trilhos. Nesse aspecto, merecem destaque duas linhas de monotrilho. A primeira, já em andamento, faz parte do Expresso Tiradentes e, partindo da Vila Prudente, vai chegar a Cidade Tiradentes, conectando a zona leste à linha 2 do metrô. A outra vai sair do Jardim Ângela e conectar o bairro à linha 5, que, por sua vez, será estendida até se conectar às linhas 1 e 2. Também pretendemos melhorar a estrutura viária, por exemplo, com a extensão da Radial Leste até Guaianases e o prolongamento da Marginal Pinheiros, a partir da ponte Transamérica, até a ponte Vitorino Goulart.

Qual sua proposta de política habitacional para os moradores em áreas de risco? E qual vai ser a primeira medida?

Nosso objetivo é reduzir consideravelmente as áreas de risco. Essa operação é casada entre as secretarias de Habitação, de Meio Ambiente e as subprefeituras. Ela consiste em construções de muros, retaludamento [mudança de inclinação das encostas] e obras de drenagem em geral. Vamos 200 favelas em bairros, avançando no programa de urbanização de favelas, com ênfase nas regiões de mananciais. Ainda na área da habitação, pretendemos concluir o Programa de Urbanização do Complexo Paraisópolis e o projeto Heliópolis, além de avançar na regularização fundiária de áreas de ocupação irregular.

Há grandes distritos das periferias que não têm leitos hospitalares e o atendimento básico de saúde é precário. Como pretende mudar essa situação?

Vamos melhorar e agilizar o atendimento. Para isso, vamos criar o gerente de saúde, um profissional que não é médico nem enfermeiro, cuja missão será resolver, no local, problemas como demora em consultas e exames. Também vamos criar mais 30 AMAs 24 horas. Outra medida é integrar as redes de saúde da prefeitura e do governo do Estado, pois muitas vezes existe condição para prestar um determinado serviço, mas não naquela unidade específica. Também vamos criar um sistema de diagnóstico por imagem, interligado com toda a rede. Quanto aos hospitais, já está prevista a inauguração de mais três hospitais municipais: um na Capela do Socorro, outro no Carrão e um terceiro na Freguesia do Ó.

Na atual administração as subprefeituras perderam boa parte de suas antigas atividades. Ficaram basicamente com o serviço de zeladoria. Como funcionarão as subprefeituras se você for eleito?

O serviço de zeladoria é fundamental, pois é ele que mantém a infraestrutura já existente na cidade. As subprefeituras são responsáveis por esse trabalho e pela identificação de novas demandas nessa área. Mas elas são e precisam ser muito mais que isso. Vamos modernizar as subprefeituras e introduzir nelas mecanismos do estilo Poupatempo, desburocratizando os processos e dando mais rapidez ao atendimento dos cidadãos. Também vamos criar uma sala de monitoramento em cada uma das 31 subprefeituras, equipada com tecnologia para acompanhar os acontecimentos da região.

Como planeja reverter os benefícios da Copa do Mundo para os moradores locais?

Um dos principais legados da realização de jogos da Copa na cidade são as obras viárias, como a extensão da Radial Leste até Guainases, a instalação do polo institucional e industrial de Itaquera, que contará com unidades da PM e do Corpo de Bombeiros, um fórum, uma Escola Técnica estadual e uma Faculdade de Tecnologia (Fatec), além das empresas atraídas pelos incentivos. Além disso, as linhas do metrô e da CPTM que servem a região de Itaquera estão recebendo investimentos que vão elevar a capacidade de transporte do sistema para 120 mil passageiros por hora.

O transporte público é uma das reclamações dos moradores da periferia. Ônibus que atrasam, que não passam, a superlotação. Quais suas propostas para melhorar essa situação?

A melhoria do sistema de transporte público tem de se dar em várias frentes. Uma delas é manter os investimentos da prefeitura no metrô. Nesse quesito, são prioridades as linhas de monotrilho até Guaianazes e até o Jardim Ângela. Outra é o investimento em corredores de ônibus. Vamos ampliá-los em, pelo menos, 60%. Entre os prioritários estão o do M’Boi Mirim, indo do Jardim Ângela até Santo Amaro, e a conclusão do corredor da zona leste, na Radial. Planejamos ainda construir três terminais urbanos e avançar na renovação da frota, optando por veículos com maior capacidade de passageiros e mais confortáveis. Outra frente é atuar na melhoria da malha viária, com a duplicação de avenidas.

Para ler as outras entrevistas, clique aqui.

 

Quer ser um correspondente comunitário do Mural? Saiba como por aqui.

Flavio Munhoz, 34, é correspondente do Grajaú.
@flaviomunhoz
flaviomunhoz.mural@gmail.com

Blogs da Folha