Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Festa no Capão Redondo abre debate sobre falta de entretenimento na região

Por Blog

No sábado (7), a festa Disco Baby reuniu DJ Marky, Mano Brown e outros artistas em apresentações musicais voltadas para crianças no Capão Redondo, zona sul de São Paulo.

O evento foi realizado em parceria com a ONG Capão Cidadão, com apoio da Organização Agente Cidadão, e chamou a atenção para o trabalho de formação cultural realizado no bairro.

Palhaço e malabarista da companhia Du Circo diverte a criançada

As organizações atuam em parceria há mais de 10 anos e buscam oferecer arte, cultura, educação, esporte para crianças e jovens entre seis e dezesseis anos.

Margarida Silva da Cruz, 40, moradora da região, diz que é ótimo ter um espaço como esse, onde as crianças podem ocupar a mente com coisas boas, como esporte e estudo. “O sonho da minha filha era fazer balé, mas nunca tive condições de pagar e aqui é de graça” comenta.

Embora o Capão Redondo tenha melhorado muito nos últimos anos, ainda existe uma grande demanda por projetos culturais na região.

“A maioria das pessoas aqui no Capão não possui acesso a entretenimento gratuito. Promover eventos como este, que reúnem artistas da comunidade para a comunidade, é de grande importância para todos que moram aqui e muitas vezes passam o ano todo sem ter algum divertimento em seu bairro”, avalia Juliana Proese, 31 , presidente da Agente Cidadão.

DJ CIA toca na festa realizada no sábado (7)

Projetos educacionais como o do Capão Cidadão exercem ainda um papel fundamental no combate a criminalidade na região. “Quando você atende o jovem que passaria as manhãs e tardes na rua sem fazer nada e oferece aulas de reforço, cultura e esporte, eles adquirem uma perspectiva para um mundo diferente do das drogas e criminalidade” conclui Juliana.

Dalton Assis, 24, é correspondente do Capão Redondo.
@daltonassis
dalton.mural@gmail.com

Blogs da Folha