Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Lixo vira brinquedos futurísticos em município do Grande Recife

Por Blog

Canetas sem carga, cartuchos de impressora sem tinta, frascos de desodorante vazios. O que para muitas pessoas é sinônimo de lixo, para alguns jovens do Jardim Piedade, em Jaboatão do Guararapes (região metropolitana de Recife) são objetos que podem ser reaproveitados na elaboração de robôs de brinquedo. Eles frequentam o Projeto Gênesis, que é comandado pelo artista plástico Jota Azevedo, um morador do bairro.

O Jardim Piedade sofre com a falta de saneamento básico, calçamento e acúmulo de lixo nas ruas. Foi pensando em como amenizar esse problema que Azevedo resolveu criar um projeto baseado na preocupação ambiental. “É importante conscientizar a comunidade de que podemos fazer muitas coisas com objetos que seriam jogados fora porque eles são muito ricos”, afirma.

Sem qualquer tipo de patrocínio, Jota Azevedo mantém sozinho o Projeto Gênesis e todo o material que é doado fica armazenado em sua casa. “Pretendo montar um ateliê para que eu tenha mais espaço para dar as oficinas e para que eu possa também guardar todo o material coletado” diz.

Jota Azevedo ao lado de um de seus robôs

De acordo com o artista plástico, um dos robôs que os participantes mais gostam de confeccionar é o carrinho feito com mouse. Nele, são utilizadas apenas tampas de garrafa pet para fazer o pneu e depois o mouse é enfeitado.

“Quando o pessoal termina o robô, eles levam para casa cheios de orgulho e mostram aos pais o que fizeram”, diz Azevedo, que tem esse trabalho como um hobbie. Durante a semana ele trabalha como designer de uma confecção criando os desenhos que serão estampados nas roupas.

Jota Azevedo também está envolvido em outras ações sustentáveis no Jardim Piedade. Partiu dele, por exemplo, a ideia de transformar o fundo de televisores e monitores de computador em lixeiras. “Se todos tiverem uma preocupação maior com o lixo, teremos um ambiente melhor para se viver”, diz o artista plástico.
Rafael Carneiro da Cunha, 23, é correspondente da Lapa
@rafaelccunha
rafaelccunha.mural@gmail.com

Blogs da Folha