Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

No Itaim Paulista, placas com nome de ruas estão apagadas

Por Blog

Quem desejar localizar o endereço de um amigo, uma clínica, creche ou até mesmo de uma praça no Itaim Paulista, bairro da zona leste de São Paulo, terá uma difícil tarefa a cumprir. Várias ruas estão com as suas placas de identificação danificadas, tortas, enferrujadas ou com as letras apagadas.

O Mural visitou cerca de 20 ruas na região do Jardim Itaim, área com moradores de classe média. Destas vias, doze estão com problemas no emplacamento, que foi instalado há menos de 15 anos.

Rua do Refrão, Jardim Itaim

“Moro há pouco tempo no Itaim e já aprendi que não basta informar o nome da minha rua. Tenho que indicar outras vias próximas, pois a placa está com o nome apagado”, afirma a enfermeira Rosimeire Alves (27).

“A maior dificuldade que encontrei foi quando tive que localizar uma creche numa rua chamada Nogueira Viotti” reclama o locutor Carlos Nascimento.

São vários os exemplos dessa situação. Na esquina da rua Nogueira Viotti com a Praça Ministro Brito Bastos existem duas placas que estão com as letras apagadas.

Rua Pereira de Faro, Jardim Camargo Velho

É a mesma situação da esquina das ruas Pereira de Faro e Lago Xarias, no Jardim Camargo Velho. Além de apagadas, uma das placas de lá está torta e ameaça cair.

Os moradores questionam o material utilizado nestes equipamentos. “Deveria existir uma norma para que fossem feitas com um material mais resistente”, comenta a moradora Evelise Siles.

Em outras ruas, a sinalização instalada há mais de 40 anos continua em boas condições. É o caso da rua Pascoal de Miranda, que mantém a designação do subdistrito de São Miguel, como era comum antes da emancipação administrativa do bairro, em 1980.

“Aqui no Itaim está assim. Se não fossem os carteiros e os técnicos das concessionárias de telefonia, estaríamos literalmente perdidos. Placas de nomes de rua são um elemento importante de inclusão social e divulgação da história local”, diz Sérgio Toledo Cruz que frisou ser morador e cidadão do Itaim Paulista.

Rua Baía de São Marcos, com placa instalada nos anos 1970 na parede e outra, no poste, colocada nos anos 1990

A subprefeitura do Itaim Paulista afirmou que a região é provida de 1.415 ruas e que existem 38 solicitações abertas para manutenção do emplacamento.Entretanto, não foi informado prazo para que os consertos sejam realizados.

“Solicitaremos vistoria nas ruas relacionadas pela reportagem para que sejam verificadas as necessidades de cada uma”, disse em nota a assessoria de comunicação da subprefeitura.

 

Cacau Ras, 34, é correspondente do Itaim Paulista.
@cacauras
cacauras.mural@gmail.com

 

Vander Ramos, 51, é correspondente do Itaim Paulista.
@vander521
vander.mural@gmail.com

Blogs da Folha