Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Osasco faz aniversário com atrasos e defeitos na revitalização do centro

Por Blog

A cidade de Osasco, na Grande São Paulo, completa 51 anos de emancipação nesta terça-feira, (19). Porém, em meio às comemorações, a revitalização do centro do município vai completar seis meses de atraso.

É o que ocorre nas duas principais ruas da região. Na Dona Primitiva Vianco, uma placa indica que as intervenções de R$ 4 milhões deveriam terminar em agosto do ano passado, mas operários ainda substituem o piso das calçadas, enquanto que na parte entregue, rachaduras são vistas.

Reforma do Largo de Osasco foi entregue em dezembro e faz parte da revitalização do centro da cidade, junto com a reforma da estação de trens e o recapeamento de vias

“A calçada não está plana, está difícil o acesso dos idosos, porque é sinuoso. E a demora da obra nem se fala”, reclama a escrevente Marilda Santos Alves, 40.

Durante o projeto, as interdições no trânsito, mudanças de pontos de ônibus e a dificuldade para quem atua no comércio local, marcaram o trabalho, que ainda não tem  prazo para terminar.

Perto dali, o terminal de ônibus no Largo de Osasco também foi reformulado. No entanto, a obra, entregue em dezembro, é alvo de reclamações. “Está melhor do que estava, mas não 100%”, afirma o vendedor Luiz Pedro Silva, 54. Em janeiro, ventos fortes fizeram com que uma parte da cobertura se desprendesse, mas o problema foi corrigido. “Deveria proteger mais o pessoal da chuva. Tinha de ser mais bem projetada”, opina.

Além disso, pouco mais de dois meses após a conclusão, o asfalto por onde passam ônibus de mais de 60 linhas municipais e intermunicipais está com buracos. “Uma obra nova não podia ter esses problemas”, completa o vendedor. Mas os usuários também veem melhorias. “A cobertura é maior do que a antiga e, antes, não tinha aonde sentar”, afirma a garçonete Débora da Silva, 21.

Novas calçadas terão rampas para cadeirantes. Porém, neste ponto, ao invés de dar acesso a faixa de pedestre, a rampa direciona para a via

Na Rua Antônio Agu, principal via comercial do centro, o piso do calçadão também foi trocado. O vendedor Albino Vitorino Pinheiro, 62, diz acreditar que a região está melhor, entretanto, ressalta que a própria população não ajuda. “As pessoas reclamam que está feio, mas olha o que fazem”, diz sobre chicletes jogados no chão. “O povo tem que ter um pouco de educação”.

Segundo a Associação Comercial de Osasco, 200 mil pessoas circulam diariamente no calçadão. Por ali, o novo piso também está com rachaduras, por causa da circulação de veículos como carros-fortes.

Durante as chuvas do início deste ano, alagamentos também comprometeram o comércio. A vendedora Débora Santos, 32, avalia que o local ficará melhor após a conclusão, mas enfatiza que o problema das enchentes ali é antigo. “Em janeiro, a água veio até aqui [afirma ao apontar para a altura de 20 centímetros]”, ressalta. Em 2012,  o problema ocorreu durante a execução das obras.

Dentro do terminal de ônibus no Largo de Osasco, a pista entregue em dezembro já possui buracos

Problemas em repasse atrasaram a obra, diz secretário

Segundo o secretário de Obras de Osasco, Carlos Alberto Baba, o atraso na revitalização ocorreu em função de “problemas no repasse do governo federal”, reanálise dos projetos e a proximidade do Natal, que aumentou a circulação no local. Segundo ele, os problemas da rua Dona Primitiva Vianco serão resolvidos até o fim da obra e de seu recapeamento.

Quanto às chuvas e as enchentes, informou que é uma questão ampla, a qual envolve o rebaixamento da calha do rio Tietê. “A obra do calçadão não minimiza nem agrava esta questão”, enfatizou. Ele explicou que, com chuvas e ventos fortes, é inevitável que o usuário não fique totalmente protegido no terminal, pois o espaço “deve ser aberto para o embarque e desembarque”. Disse, ainda, que o asfalto será revisado e a circulação de carros fortes no calçadão será proibida.

Paulo Talarico, 22, é correspondente de Osasco.
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Blogs da Folha