Em Suzano, teatro Contadores de Mentira continua fechado ao público

Por Blog

O teatro Contadores de Mentira, localizado em Suzano, continua fechado ao público. O deslacramento, realizado pela prefeitura da cidade na segunda (15), permite acesso apenas aos responsáveis pelo local, que terão de adequar o espaço às normas vigentes.

“O teatro Contadores de Mentira não poderá realizar atividades até regularizar sua situação. No último dia 16, uma equipe da Prefeitura de Suzano esteve no local e constatou que o espaço apresenta problemas elétricos, além da ausência de auto de vistoria do Corpo de Bombeiros do Projeto Técnico de Segurança e do laudo da Vigilância Sanitária. O teatro só poderá ser aberto depois que as devidas providências forem tomadas e a documentação necessária for regularizada. Os responsáveis pelo teatro têm 60 dias para realizar as adequações”, disse a administração por meio de nota.

Este post corrige informações divulgadas mais cedo, na matéria Após mobilização na internet, espaço cultural em Suzano é reaberto

A interdição, realizada na sexta, começou por volta das 20h, no bairro Parque Maria Helena, onde aproximadamente 15 carros de policiais, acompanhados por cães farejadores, cercaram o local. Os artistas tiveram meia hora para deixar o estabelecimento.

Após o ocorrido, a companhia de teatro procurou orientação jurídica e iniciou uma campanha na internet. Houve uma mobilização no Facebook a favor da reabertura do espaço cultural. Cerca de quatro mil compartilhamentos sobre o tema foram registrados na rede social.

Ademiro Alves, 29, conhecido como “Escritor Sacolinha” contou que o grupo pretendia fazer uma reivindicação na sede da Secretaria de Cultura caso a situação não fosse revista. “Eles resolveram pedir desculpas porque mexeram não com um grupinho de teatro e sim com a classe artística de Suzano e região”, disse.

De acordo com o diretor, ator e fundador da companhia, Cleiton Pereira, 41, a indignação do grupo não foi por conta da fiscalização, mas da forma com que foi feita a ação. “Nossa reação é sobre o ato abusivo e não sobre a legitimidade de fechar ou não o local”, afirmou.

Segundo os diretores do espaço, o local já estava em trâmite de regularização conforme projeto técnico assinado por um engenheiro civil.

O grupo de teatro atua em Suzano desde 1995 e tem um histórico de espetáculos e premiações em várias cidades do Estado de São Paulo.