Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Secretário do Meio Ambiente de SP quer dar mais autonomia aos subprefeitos

Por Blog

Após seis meses de mandato, o secretário municipal do Verde e do Meio Ambiente de São Paulo, Ricardo Teixeira (PV), afirmou, em entrevista ao Mural, que a pasta deve descentralizar suas atividades e dar mais autonomia às subprefeituras. O projeto de lei foi entregue ao prefeito Fernando Haddad (PT)  neste mês e deve ser discutido antes de ir à Câmara Municipal.

“A ideia que trabalhamos com o prefeito é de criar uma supervisão [da Secretaria do Verde] em cada uma das 32 subprefeituras. Elas terão autonomia para arborização, fiscalização e educação ambiental com o controle e a gestão do subprefeito”, revela Teixeira.

Entrevista com secretário do Verde foi conduzida pelos correspondentes Jéssica Moreira e Anderson Meneses

O projeto elaborado pela pasta vai incluir três fiscais e um supervisor do verde em cada subprefeitura. Ao todo, serão 128 novos funcionários para auxiliar no processo de descentralização. “O poder regional vai ter de estar fortalecido”, diz o secretário.

Teixeira é engenheiro e trabalhou por vários anos na área de transportes, com passagens pela CET, EMTU e Dersa, onde foi diretor e iniciou as obras do Rodoanel. A partir de 2005, passou a trabalhar na prefeitura da capital, onde chegou ao cargo de secretário de Coordenação das Subprefeituras. Assumiu o cargo atual no começo de 2013.

A entrevista ao Mural, realizada no auditório da Folha em 15/6, também abordou outros temas de interesse dos bairros da periferia e também da região central. Confira abaixo:

Parques e segurança

Os parques municipais devem ter o horário de funcionamento ampliado, graças a transferência das sedes da Guarda Civil Metropolitana (GCM) das subprefeituras para às áreas verdes. “As famílias devem enxergar o parque como quintal da casa delas”, afirma.
Os espaços também serão monitorados 24 horas por câmeras de segurança e as imagens serão disponibilizadas em tempo real na internet. “[Elas] ajudarão na vigilância e vão disponibilizar informação para as pessoas”, explica Teixeira. O projeto deve ser licitado no segundo semestre. O usuário que queira andar de bicicleta ou skate, por exemplo, poderá acessar pela internet se o parque dispõe do serviço ou não.

Atualmente, a cidade tem 62 áreas em processo de desapropriação para serem transformadas em parques e nove locais já em obras – nos últimos anos, o número de parques saltou de 33 para 97.

Outro projeto enfatizado pelo gestor é o mapeamento das árvores. Está em estudo a instalação de chips nas espécies, para enviar informações à secretaria.

Enchentes e parques lineares

Quanto aos parques lineares, a implantação não é a solução para enchentes, apesar de ser a melhor iniciativa, segundo o secretário, para problemas em áreas com riscos. “Você traz a possibilidade do córrego trasbordar e não ir para outras áreas. Segundo, você ganha equipamentos, ganha campos de futebol, praças”.

Cantareira

O secretário disse que a compensação financeira do Rodoanel, na zona norte, poderá servir para cercar o parque estadual da Serra da Cantareira. “Está havendo invasão, tanto da parte de São Paulo, quanto de outros municípios, como Guarulhos, Caieiras, Mairiporã”, diz. Haverá, também, negociação com as pessoas que já moram lá de modo irregular para que deixem o local, em um processo de médio a longo prazo.

Guarapiranga

Outra área com invasões, que causa preocupação à prefeitura, é a região de Guarapiranga, na zona sul. “Temos um projeto para fazer de toda essa borda um grande parque, vai ser a praia do paulistano”, diz. O trabalho será reforçado para que não haja mais invasão. O melhor uso das áreas verdes do município também é estudada pela gestão, como receber trilhas, rapel, além de projetos de educação ambiental. “Nenhuma cidade tem florestas como nós temos, mal utilizadas por nós, cidadãos dessa cidade”.

Participação popular

Teixeira também ressaltou que a população deve participar da Conferência Municipal do Meio Ambiente (Veja programação aqui), a qual elegerá delegados que discutirão os rumos da política ambiental de São Paulo.

Áreas verdes no Centro

Para atender à solicitação do centro de São Paulo por mais áreas verdes, a secretaria deve trabalhar com maior arborização das vias e a destinação de áreas livres no centro para praças. “Estamos fazendo uma contratação de dez equipes para as 32 subprefeituras para plantar árvores e mantê-las”, diz.

Veja trechos da entrevista em vídeo.

 

 

Blogs da Folha