Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Passageiros reclamam de terminal de ônibus improvisado entre Carapicuíba e Osasco

Por Blog

Os usuários que chegam ao ponto final de ônibus do Km 21, na divisa entre os municípios de Carapicuíba e Osasco, na Grande São Paulo, enfrentam dificuldades para chegar à estação de trem General Miguel Costa da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos).

Desde 2006, projetos de um terminal são divulgados pelas prefeituras dos municípios. Entretanto, não há prazo para a conclusão. “Faz oito anos que eu escuto isso. Não acredito mais”, afirma o orçamentista gráfico Cléo Frari, 32.

Localizado embaixo do Rodoanel Mário Covas, os passageiros são obrigados a aguardar o transporte em um espaço improvisado. A área está repleta de carros estacionados, contêineres de lixo e despejo irregular de terra e concreto. “É escuro, não tem segurança e é mal feito, se chover, alaga”, explica.

Em dias de chuvas, a situação do terminal se agrava pela lama e falta de cobertura

A maior parte dos pontos está na área de Osasco, porém, 95% dos usuários são moradores de Carapicuíba, que saem dos coletivos para ir aos trens com destino a São Paulo. É o caso de Frari, morador da Vila Dirce, que diariamente desce na estação da CPTM. “Uma melhor iluminação ajudaria, além de asfaltar esse barro, porque, quando chove, fica bem complicado”, complementa.

Os usuários esperam em pontos sem cobertura e, em dias de chuva, a situação se agrava pela lama. “É complicado, porque, quando chove, alaga e temos de ficar lá na frente esperando o ônibus”, diz o faturista Helton dos Santos, 27. Para ele, os problemas também estão relacionados à ausência de segurança e os poucos ônibus no local. “É muito desorganizado”, afirma.

No fim da tarde, há filas de quem espera o transporte em calçadas que não estão concretadas. Outra dificuldade apontada pelos usuários é a ausência de sinalização de trânsito. As três faixas de pedestre, em frente à estação de trem, estão quase apagadas e os moradores, ao saír dos coletivos, disputam a travessia com veículos. “Aqui deveria ter estacionamento e sinalização adequada. O pedestre desce do ônibus e já fica olhando se o trem vai chegar e corre esquecendo que têm carros vindo para cá”, conta o vendedor de doces, Hélio Santos, 54, que trabalha há 14 anos nas proximidades do local.

As poucas faixas de pedestre, na região, estão apagadas

Questionada, a EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) informou que o projeto de construção do Terminal de Integração Metropolitano do KM 21, que terá uma passarela, está em fase final e fará parte do Corredor Metropolitano Itapevi – São Paulo, mas não informou a previsão para o início e término das obras.

Quanto à sinalização, a prefeitura de Osasco enviou nota dizendo que pretende realizar a adequação das guias e do pavimento, a fiscalização do comércio ambulante e a melhora dos pontos de ônibus. Porém, as medidas dependem de estudo com a prefeitura de Carapicuíba, a qual não respondeu à reportagem do Mural.

Anderson Ferreira, 24, é correspondente de Carapicuíba
@anderson2908
andersonferreira.mural@gmail.com

Paulo Talarico, 23, é correspondente de Osasco.
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Blogs da Folha