Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Moradores da Vila Guilherme constroem pesqueiro comunitário

Por Blog

O estado de abandono da praça Conchita de Moraes, no bairro da Vila Guilherme (zona norte de São Paulo), colocou à prova a capacidade de improvisação dos moradores do local.

Diante de um terreno que era basicamente um morro, os próprios moradores fizeram terraplanagem, improvisaram duas traves de cada lado e o campo de futebol estava feito. O motorista Ourivaldo Batista, 55, então teve uma ideia: por que não fazer um pesqueiro?

“Quando mudei para cá, não tinha nada. Percebi que tinha uma nascente. Vou fazer um lago aqui”, lembra-se o motorista. Sua ex-mulher protestou. Ele foi a um pesqueiro e comprou alguns peixes pequenos, jogou-os na nascente. Eles sobreviveram.

Ourivaldo mudou de casa três vezes depois da ideia. “Uma tentativa da minha ex para me afastar do lago”. Não Funcionou, ele ficou com o lago e se separou da mulher, em 2010.

“Aqui ninguém nem sabia o que era pescar. As crianças, os grandes, todo mundo pesca, ninguém sabia o que era anzol nem nada”, diz.

Depois, o motorista teve ajuda de outros moradores. Eles cavaram a terra e o lago cresceu. Ourivaldo ficou conhecido como “tio da lagoa.” Após a pescaria dos moradores, os peixes são devolvidos ao lago.

Outro morador, Jamiro Marques, 51, conta que, pela falta de espaço adequado para as crianças brincarem, muitos escorregam pela encosta do morro, próximo do lago. Algumas já se machucaram.

Mesmo com o pesqueiro e com o campinho, moradores reclamam do mato alto à falta de conservação do local. Há lixo no entorno da praça e, segundo eles, a coleta seletiva não passa.

A Amlurb (Autoridade Municipal de Limpeza Urbana) afirma que enviou no dia 11 de julho uma equipe para vistoriar o espaço. Diz, também, que a praça está limpa.

Segundo a Amlurb, moradores deixam os resíduos fora do horário de coleta.

Os moradores pedem, também, a revitalização do campo de futebol improvisado. “As crianças ficam sentadas aí, e não tem nada pra fazer”, diz  Ourivaldo.

A prefeitura disse, em nota, que os moradores podem fazer  reclamações por meio do telefone, no número 156.

 

Ourivaldo Batista, 55, pesca peixe em lago construído por moradores na zona norte de SP

Raphael Preto Pereira, 18 é correspondente da Vila Guilherme.
raphaelpreto.mural@gmail.com
@pretoraphael

Blogs da Folha