Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Moradores de Perus fazem roda de samba em feira livre

Por Blog

Além de batatas e cenouras a preços baixos, quem costuma ir até a feira de domingo no Jardim do Russo, em Perus (zona norte de SP), conta com uma trilha sonora totalmente gratuita. É que, desde 2012, o local também se tornou palco da roda de samba realizada pela Comunidade Partideiros do Samba de Perus.

Formada por moradores da região, a ideia da Comunidade surgiu quando seus membros ainda eram estudantes de escolas públicas do bairro.

A paixão pelo samba de raiz fez com que a amizade entre eles ultrapassasse os muros do colégio, levando-os a se encontrar em maio de 2012. Além disso, eles juntaram as habilidades musicais de cada um. A ideia de um conjunto de samba se oficializou e os integrantes resolveram se apresentar à comunidade local por meio da feira.

Roda de samba é realizada todo segundo domingo do mês em Perus

Diego Barbosa, 28, é um dos responsáveis pelo grupo e, para ele, a Comunidade tem o objetivo de resgatar o samba de raiz e trazer essa modalidade musical para a comunidade, principalmente para as crianças, que muitas vezes não têm acesso ao ritmo.

Organizador e também percursionista do grupo, Gustavo Pagua, 29, demonstra a vontade dos Partideiros em ampliar a roda, fazendo disso um evento com infraestrutura suficiente para atender a todos, com banheiros públicos e brinquedos para as crianças, por exemplo. “Atividades como essa são importantes para que os moradores menos favorecidos possam curtir uma boa música sem precisar gastar dinheiro. E também para os mais velhos, que já não possuem opções de lazer”, diz.

O motorista Eduardo Bita, 53, não é integrante do grupo. Mas, ali, bem ao lado da roda, faz questão de mostrar sua habilidade em imitar uma cuíca. O som da boca do rapaz se mistura ao instrumento e, assim, é cumprido o objetivo dos integrantes: trazer o samba de raiz para a cultura local e agregar qualquer pessoa que tenha vontade de entrar na roda.

“É a maior felicidade estar aqui, até me arrepio em ver Perus tendo algo assim ao vivo e à cores. Da mesma forma que a chuva faz a população descer o morro, o samba também faz”, diz Bita, que acredita que a prefeitura deveria dar mais incentivos a todos os grupos culturais do bairro.

Os moradores presentes dizem que, de 1998 a 2003, a cena do samba em Perus era muito mais forte, já que diversos grupos locais se apresentavam aos fins de semana na Praça do Samba, na Vila Nova Perus.

No princípio, a prefeitura colaborava financeiramente, o que atraia também a população dos bairros vizinhos. Mas, passado um tempo, a falta de investimento afastou os músicos e a praça também deixou de ser uma referência cultural.

Com a iniciativa dos Partideiros, esse cenário vem mudando. O operador de máquina Fábio da Silva, 37, mora em Caieiras, região metropolitana de São Paulo. Soube do samba por meio de uma amiga e há cinco meses, todo segundo domingo do mês ele marca presença no evento. “Existem poucos eventos gratuitos pela região”, reforçou.

A balconista Rosemara Ribeiro, 30, trabalha aos domingos em uma padaria no bairro de Pinheiros (zona oeste de SP). Mas, o samba no segundo domingo do mês fez até com que ela convencesse a patroa a lhe dar uma folga. “Nos outros domingos, não há nada. E a gente reza pra chegar logo o segundo domingo, para ter uma diversão”, é o que diz a amiga de Rosemara, Bruna Buscanollos, 17. Para as amigas, a feira não tem a mesma graça nos domingos sem o samba.

Serviço

O samba acontece todo segundo domingo do mês, na feira do Jd. do Russo, que tem início na av. Dr. Silvio de Campos, em Perus. O evento é gratuito.

Para maiores informações sobre a Comunidade Partideiros do Samba de Perus e agenda de apresentações, entre na comunidade do grupo no Facebook, clicando aqui.

Jéssica Moreira, 21, é correspondente comunitária de Perus.
@gegis00
jessicamoreira.mural@gmail.com.

Blogs da Folha