Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Jovens do Alto Tietê criam brechó virtual

Por Blog

Criado há dois anos no Facebook, o “Ex My Love – Vendas & Trocas – Suzano e região” tem chamado a atenção das moradoras do Alto Tietê, na região metropolitana de São Paulo. O grupo conta com mais de 3 mil integrantes, sendo todas garotas, que realizam trocas e vendas de roupas e acessórios por meio da rede social.

A ideia surgiu a partir de uma turma de amigas que trocavam roupas entre si e, quando não tinham disponibilidade de se ver, combinavam o procedimento online.

O grupo começou com menos de 50 pessoas e a intenção inicial era que as trocas fossem feitas apenas entre amigas. Porém, a iniciativa cresceu. “Sem perder o foco das trocas e vendas de vestimentas, atualmente fazemos o mesmo com celulares, acessórios e até mesmo móveis usados”, diz Nicoly Martins, 18, uma das administradoras do grupo.

Blusas de cetim estão entre os produtos trocados na rede

“Um dia na faculdade uma colega de sala estava com um short diferente e perguntei em que lugar ela tinha comprado. Ela me falou desse grupo e, a partir daí, comecei a fazer parte. Atualmente, sou uma viciada”, conta a estudante Joyce Capponi, 20, moradora de Guararema.

A metodologia do brechó virtual é simples. Fotos de roupas, sapatos e acessórios disponíveis são postadas e, após a cliente escolher aquilo que mais gosta, é marcado um encontro com a pessoa para a entrega do produto.

A bióloga Tassiane Rodrigues, 26, mora em Mogi das Cruzes, participa do grupo há um ano e afirma que a página é uma ferramenta para quem não tem tempo. “Acho viável, pois facilita minha vida corrida. Faço estágio em um hospital e precisava de uma calça branca. Como não tenho tempo de ir a uma loja, procurei por ela no grupo e comprei”, ressalta.

A também administradora do grupo, Larissa de Oliveira Ramos, 25, diz acreditar que a facilidade no uso do Facebook é o que mais atrai as garotas. “É diferente de outros casos em que uma pessoa que queira vender algo tem que enviar a foto para um site e o moderador precisa fazer todo o trabalho, incluindo a negociação”, afirma.

“Como a maioria das pessoas estão na rede, o trabalho se baseia apenas em tirar uma foto daquilo que você quer vender ou trocar e postar no grupo. Quem se interessar, entra em contato e negocia”, explica.
Jéssica Suellen, 23, é correspondente de Mogi das Cruzes
@JessicaSuellen_
jessicasuellen.mural@gmail.com

Blogs da Folha