Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Sem lazer, crianças improvisam futebol em ruas de bairro de Osasco

Por Blog

A bola rola no asfalto. Os garotos tentam uma tabela, mas o ‘um dois’ para embaixo do carro. Mais uma tentativa, vai pintar o chute: “Parou, parou, parou. Olha o senhor passando e lá vem o carro”. E, finalmente, o chute e o gol. Porém, na dividida, mais um jogador se machuca no chão duro da via.

O cenário é a rua Aparecida Soares de Moura, no Bandeiras, zona sul de Osasco (Grande São Paulo), mas poderia ser em diversas regiões do município. Porém, o local é marcado pela falta de áreas de lazer.

Campinho improvisado de terra é a única área de lazer do bairro

“Hoje a molecada joga bola embaixo do carro”, conta o operador de máquinas Melquizedeque Vitório da Silva, 32. Ele relembra que na sua infância apenas dois moradores tinham veículos, o que facilitava a diversão, diferente de hoje. Também havia dois campos por perto, os quais deram lugar a um condomínio e outras residências.

“Era mais divertido”, se recorda. “O bairro evoluiu, mas poderia ter uma área de lazer, porque as crianças têm de ficar na rua ou em casa jogando vídeo game”, avalia. “E, na via, você incomoda os vizinhos, pois todos têm o direito de colocar o carro perto de casa”. Hoje há apenas um campo de terra improvisado por perto.

A falta de espaços públicos contrasta com um terreno sem uso. Entre os bairros do Bandeiras e do Parque dos Palmares estão uma serralheria e um ferro velho desativados, que se tornaram depósito de lixo e entulho. Também há reclamações da falta de iluminação entre as vias, que não foram concluídas, o que gera falta de segurança. Entre as demandas dos moradores ouvidos, está uma base da polícia.

Ferro velho desativado tem sido utilizado como depósito de entulho, mas população cobra área de lazer no espaço

Na Avenida Almirante Negro, onde ficava o ferro velho, moram o motorista Edvaldo Augusto Valdevino e seu filho, o operador de máquinas Dhonys Augusto Valdevino, 24. “Se tivesse [uma praça], o pessoal ia cuidar mais. Porque se é nossa, a gente mesmo tem que manter, mas ali é de quem?”, questiona Dhonys sobre o espaço. “Várias cidades têm lugar para caminhar e por aqui não”, reclama o pai.

A securitária Simone Alves da Silva, 35, tem dois filhos e não gosta que eles fiquem na rua. “[Mas] eles têm apenas a via”, lamenta. Ela mostra ceticismo quanto ao destino dos locais sem uso. “Moro há 16 anos e, desde então, ouço que vão fazer alguma coisa”.

Prefeitura promete creche em terreno sem uso

A prefeitura de Osasco informou por meio das secretarias de Serviços e Obras, Segurança e Controle Urbano e Educação, que parte da área próxima a rua Aparecida Soares de Moura, no Bandeiras, será utilizada para a construção de uma creche, com previsão de entrega no segundo semestre de 2014 e que começa a ser licitada ainda neste mês. Também prevê a implantação de uma Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF), porém, a instalação depende da demanda. “As escolas devem abrir para comunidade nos fins de semana, o que cria um espaço de lazer”, diz o texto.

 

Paulo Talarico, 23, é correspondente de Osasco
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Blogs da Folha