Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Olhar Mural: Igreja em Guarulhos presta homenagem aos negros no país

Por Blog

A Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, localizada em Guarulhos, na Grande São Paulo, é uma das entidades que preza o catolicismo negro no país.

Em sua antiga sede, no centro da cidade, o chão está marcado com uma tinta preta e uma placa de identificação para informar aos moradores que a igreja já esteve instalada ali.

Templo voltou ao seu antigo nome depois de arrependimento da igreja (Foto: Divulgação/Catedral de Guarulhos)

Trazendo o contexto de um catolicismo barroco, templos assim eram  abundantes e exerciam forte influência na cultura brasileira. Essas informações são do historiador e membro do Conselho do Patrimônio Histórico de Guarulhos, Elmi Olmar, 50, que pretende lançar um livro sobre o assunto ainda este ano.

“O objetivo das irmandades eram oferecer aos seus membros um espaço de comunhão, identidade, socorro e alforria. [Eram] meios de protesto contra abusos senhoriais, festas e rituais fúnebres”, conta Olmar.

Foi no fim da década de 1920 que a Rua Dom Pedro II, na região central da cidade, perdeu a igreja. No começo do ano de 1930, o novo templo foi construído na esquina das Ruas Sete de Setembro com a João Golçalves, continuando por lá até hoje.

Placa para identificar o antigo local da igreja (Foto: Jéssica Souza)

Contudo, na época, o nome do templo foi alterado para Igreja Nossa Senhora do Rosário, segundo determinação de um concílio formado por autoridades eclesiásticas da época.

“[Eles tinham] o objetivo de discutir e deliberar sobre questões pastorais, de doutrina, fé e costumes do Vaticano I, [mas] não permitiam o catolicismo negro”, explica Olmar.

Hoje, o nome do templo voltou a ser o que era antes como forma de arrependimento da igreja pela injustiça que cometeu aos negros no Brasil.

 

Jéssica Souza, 22, é correspondente de Guarulhos
jsouza.mural@gmail.com

Blogs da Folha