Perda de espaço deixa alunos sem aulas de reforço na zona sul

Por Blog

Desde o fim de 2012, cerca de 50 estudantes estão sem as aulas de reforço oferecidas gratuitamente pela Associação de Mulheres Boulevard da Paz, situada no Parque Independência, zona sul de São Paulo. A má orientação e a perda do espaço foram os motivos que levaram à interrupção das atividades.

Oferecidas na garagem de uma casa, as aulas ocorriam no período em que os estudantes da região não estavam no colégio regular.

Voluntárias, Edna Silva, 40, e Maria Aparecida de Jesus, 36, eram as responsáveis por tudo, desde a elaboração dos lanches até os trabalhos em sala de aula. Elas auxiliavam estudantes de 8 a 15 anos principalmente em relação à leitura. “Tinha dias que ficava tão cheio que a criançada tinha que dividir a mesma mesa”, lembra Maria Aparecida.

Edna, Luis Jorge e Maria Aparecida cuidavam dos trabalhos em sala de aula

Alertado por uma assistente social da Sehab (Secretaria Municipal de Habitação) de que não poderia continuar com as atividades, o presidente da Associação, Luis Jorge de Jesus, 41, encerrou os trabalhos, visto que não possuía o documento necessário para a realização das aulas.

“A assistente esteve aqui por conta das obras de reurbanização que serão feitas, pois, segundo a subprefeitura do M’ Boi Mirim, estamos em uma área de risco e podemos sofrer com deslizamentos de terra. A moça disse que a gente não podia continuar dando aula e falou para procurarmos a Secretaria de Educação para nos regularizar”, relata o presidente.

Além disso, segundo Jesus, o dono da casa “pediu” a garagem e eles tiveram que sair de lá. Hoje, as carteiras estão empilhadas no segundo andar de sua residência.

Mesas e cadeiras estão amontoadas na Associação Boulevard da Paz após fim de aulas de reforço

“Muitos pais pedem que a gente volte a dar aula, pois é uma forma dos filhos não ficarem na rua fazendo besteira. Mas não temos condições financeiras para reformar nossa casa e fazer uma sala de aula”, afirma Maria Aparecida, que é casada com Jesus.

Preocupado, o presidente da associação logo se dirigiu até a Diretoria Regional de Educação do Campo Limpo, responsável pela região onde está o Boulevard da Paz. Porém, segundo o diretor Alexandre Cordeiro, o órgão supervisiona apenas instituições particulares de educação infantil, públicas de ensino fundamental e creches.

Procurada pelo Mural, a assessoria de imprensa da Sehab informou que o procedimento para regularização das aulas de reforço é feito pela SMADS (Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social) e não pela Habitação.

 

Rafael Carneiro da Cunha, 23, é correspondente da Lapa
@rafaelccunha
rafaelccunha.mural@gmail.com