Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Pontos de ônibus ainda não foram substituídos em bairros da zona norte

Por Blog

Moradores de bairros da zona norte de São Paulo reclamam da demora na substituição dos pontos de ônibus na região. Em algumas localidades, a mudança sequer começou a ser executada.

Na Jova Rural, alguns pontos de ônibus com abrigos de telha foram retirados e ainda não foram substituídos. Na rua Ari da Rocha Miranda, a parada coberta deu lugar a um poste. Na rua Roberto Lanari, o abrigo foi retirado e o local não recebeu sequer um marco de sinalização. Não há nenhum aviso.

“É muito ruim esperar o ônibus sem cobertura, com sol ou chuva. Dependendo do horário, ainda tem um pouco de sombra.  E, algumas, pessoas saem pela rua perguntando onde fica o ponto de ônibus”, diz Valdete dos Santos Chagas, 52, auxiliar de limpeza, que também usa transporte público diariamente.

Enquanto isso, no bairro do Jaçanã, na av. Paulo Lincoln do Vale o abrigo foi substituído por um poste com o seguinte aviso: “Este abrigo foi retirado por motivo de segurança e será substituído por um novo abrigo”.

Ponto recém-instalado na rua Ari da Rocha Miranda, na Jova Rural
Ponto recém-instalado na rua Ari da Rocha Miranda, na Jova Rural

Em Taipas, os pontos de ônibus da avenida Deputado Cantídio Sampaio, uma das principais vias do bairro , não são cobertos e ainda não há sinais de que serão substituídos. É o que relata a moradora do bairro Neuza Maria de Souza, 58, costureira, que vive há 40 anos na região.

“Nesse tempo que moro aqui, os pontos sempre foram ruins, praticamente não existe manutenção. São poucos os com cobertura e ainda são aquelas de telha e sem assento. Vi que estão fazendo a substituição em diversas regiões, como Freguesia do Ó e Lapa, mas aqui ainda não”, conta.

“É um descaso.  Deveriam ter mais cuidado com os usuários. Às vezes fico 30 minutos esperando ônibus debaixo do sol e em pé. Quem sofre mais são as pessoas idosas e as crianças”, reclama Neusa,  revoltada.

O Mural também detectou a falta de estrutura nos pontos de ônibus em outros bairros, como Vila Zilda e Freguesia do Ó, veja aqui.

De acordo com a SP Obras, haverá substituição de pontos e abrigos na av. Deputado Cantídio Sampaio, bem como em toda a cidade de São Paulo, num total de 6.500 abrigos e 12.500 totens. O prazo final para a troca é 2015.

Sobre os pontos descobertos, chamados de totens, o pedido de troca por abrigos cobertos deve ser feito pelo usuário à SPTrans,  que avaliará a necessidade de mudança.

A instituição também se manifestou sobre os endereços indicados no bairro da Jova Rural, informando que 575 abrigos e totens foram retirados de forma emergencial por apresentarem problemas de segurança para os passageiros. Destes, cerca de 210 já foram repostos. A estimativa é que em até 90 dias todos os abrigos retirados por problemas de segurança serão recolocados.

Veja mais fotos no Flickr do Mural.

 

Aline Kátia Melo, 30, é correspondente da Jova Rural
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com

 

Bianca Pedrina, 29, é correspondente de Taipas
@pedrita
biancapedrina.mural@gmail.com

 

Blogs da Folha