Para fugir do tumulto, Mercado da Penha vira opção de compras para ceia e almoço de Natal

Por Blog

Com a chegada das festas de fim de ano, quem deixou os preparativos para a última hora já está acostumado com as tradicionais filas. Para escapar da agitação, o Mercado Municipal Senador Antônio Emydio de Barros, localizado na Penha, zona leste de São Paulo, foi uma alternativa encontrada pelos moradores para fazer com mais tranquilidade as compras para a ceia e o almoço de Natal.

Embora o movimento do local tenha aumentado na última semana, o tempo de espera para o atendimento não chegava a ultrapassar dez minutos.

Segundo Isabel Bianchi, 44, atendente do box Esquina das Frutas, os produtos mais procurados no setor de hortifruti foram uva rosada, pêssego, melancia e ameixa. “A gente traz as frutas mais verdinhas para durar e o cliente ainda comer no dia seguinte o que sobrou”.

O tempo para atendimento no Mercado da Penha não chagava a ultrapassar dez minutos
O tempo de espera para atendimento no Mercado da Penha não chagava a ultrapassar dez minutos

O empresário Rafael Martinelli, 28, vai receber 40 pessoas na sua casa e, de acordo com ele, esse ano a ceia e o almoço serão por sua conta. Morador da região, optou por comprar as frutas, saladas e carnes no Mercado Municipal da Penha. “Aqui as coisas são mais frescas do que na feira, ou até mesmo do que em um mercado grande. Eu também acho que os atendentes são mais amigáveis”, contou.

Para o comerciante Danilo Bannitz, 25, dono do box Borges Carnes, o atendimento é o diferencial na hora de atrair os clientes para as compras no comércio de bairro. “Nos hipermercados, os produtos ficam expostos na gôndola e não tem ninguém para explicar como temperar corretamente. Aqui é possível pedir instruções e, no caso de frutas e laticínios, experimentar o produto”, explicou.

De acordo com ele, o gasto médio dos clientes em carnes tem sido entre R$ 100 e R$ 130. “Na hora de pagar, o contato direto com o proprietário da loja também facilita a negociação de um desconto”.

Os consumidores gastaram, em média, de R$ 80 a R$ 120 com frutas
Os consumidores gastaram, em média, de R$ 80 a R$ 120 com frutas

A técnica em solo Rute Marques, 41, e o esposo Daniel Mugerima, 39, supervisor de logística, decidiram fugir do tradicional e apostar em um cardápio variado com peixes e carnes. O casal afirmou que todos os anos eles compram os preparativos para a ceia e o almoço no Mercado da Penha.

Segundo eles, além de fugir do tumulto, o preço também chama atenção. “Gastamos cerca de R$ 200 até agora. Eu acho que vale a pena investir na ceia de Natal, porque a família reunida não tem preço”, disse Rute.

A dona de casa Maria Aparecida Seixas, 68, também preferiu comprar seus ingredientes no mercadão. Para ela, a escolha reflete a qualidade dos produtos e a comodidade. Entre uma box e outro, ela ainda fez uma pausa para comer pastel.

A maioria dos boxes estava decorada para o Natal
A maioria dos boxes estava decorada para o Natal

 

De acordo com Joel Candido, 39, responsável pela administração do mercado, a possibilidade de parar as compras e lanchar ou tomar um suco é outro atrativo do local.

O Mercado Municipal da Penha fica localizado na Avenida Gabriela Mistral, 160, próximo ao Terminal de Ônibus da Penha. Hoje ele conta com 22 boxes em funcionamento, entre hortifruti, laticínios, açougues e lanchonetes.

 

Marina Lopes, 21, é correspondente da Penha
@marina_lopesmf 
marinalopes.mural@gmail.com