Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Estúdio de animação na V. N. Cachoeirinha deve deixar o bairro

Por Blog

Com suas atividades interrompidas há um ano, o Nupa (Núcleo Paulistano de Animação), estúdio mantido pela prefeitura que ensinava técnicas de animação na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte de São Paulo, passará por readequações e poderá deixar o bairro.

Segundo Renato Nery, coordenador do núcleo de fomento ao cinema da Secretaria Municipal de Cultura, o Nupa é considerado um projeto “fundamental” para o perfil de produção audiovisual pensado para a cidade, mas está “isolado” das políticas culturais do município.

Sem data para ser reativado, o núcleo deverá ser transferido do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, onde funcionava antes. “Chegamos a cogitar o Tendal da Lapa, que tem fácil acesso de trem”, disse Nery.

De acordo com ele, a criação da SP Cine, agência paulistana de fomento ao cinema, poderá ajudar o projeto. “No Conselho da SPCine, está a Associação Brasileira de Animação, que nos ajudará a adequar o Nupa e até potencializá-lo”, afirma Nery.

O desenhista Éder Gil, 28, que mora no Jardim Santa Cruz, foi o primeiro aluno do Nupa. Hoje animador e quadrinista, conta que não sabia nada sobre animação quando descobriu o projeto, no qual foi aluno destacado e chegou a artista-residente, seu primeiro emprego na área.

Fachada do Centro Cultural da Juventude, que abrigou o Nupa
Fachada do Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso, que abrigou o Nupa

“O Nupa mudou minha vida, e para muito melhor. Um dia eu disse ‘talvez eu estude animação’, mas em seguida eu apaguei esse sonho. Estudar animação é muito caro e venho de família humilde”, explica o desenhista.

Éder e seu colega de turma Rafael Ribeiro, 24, conhecido como “Raff”, já realizam trabalhos para grandes produtorascomo a Cinema Animadores e a Maurício de Sousa Produções.

Raff, que também foi artista-residente no Nupa, explica que a experiência consistia em produzir conteúdos, ministrar oficinas e ensinar jovens a utilizar softwares de animação, com apoio de uma bolsa-auxílio paga durante um ano.

“Além de formar jovens da periferia e servir de trampolim para sua profissionalização, o projeto ambicionava fomentar e elevar os padrões da produção da animação brasileira”, explica Céu D’Ellia, criador e diretor do Nupa.

O diretor do Nupa acredita que a Secretaria está com dificuldade para entender o projeto. “Conseguimos colocar artistas de animação, atores, roteiristas e músicos, todos do maior destaque, para trabalhar juntos em projetos únicos. O núcleo começava a apontar caminhos antes de ser abortado”, diz D’Ellia.

Ao assumir o cargo em 2013, o secretário Juca Ferreira alegou falta de verba para o projeto. Com custo anual de cerca de R$ 600 mil, o Nupa produziu três filmes da série “Paulicéia”, recebendo, com “Canta, Ty-Etê!”, o prêmio do público de melhor filme brasileiro no Festival Canadense UPTO3, em 2013, e destaque do Vimeo pelo seu comitê em Nova York.

João Paulo Brito, 25, é correspondente da Vila Nova Cachoeirinha
@JoaoP_Brito
joaopaulobrito.mural@gmail.com

Blogs da Folha