Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Parques em Carapicuíba têm playgrounds quebrados e lixo a céu aberto

Por Blog

Cheios durante o verão e em períodos de férias, os parques de Carapicuíba, na Grande São Paulo, são uma das principais alternativas de lazer dos moradores, mas contam com equipamentos sem manutenção, lixo a céu aberto e falta de segurança.

Quem está na avenida Antônio Faustino dos Santos, s/n, em direção à cidade de Osasco (Grande SP), percebe que parte da calçada do parque dos Paturis é quase um estacionamento, cercada por muitos carros e caminhões.

Pequenos grupos de moradores de rua rondam o ambiente, que é conhecido pelo alto índice de assaltos e de violência, principalmente à noite.

O parque tem três quadras de futebol com as grades de proteção quebradas, uma pista de skate pichada e playgrounds com a pintura descascada, além  de uma caçamba de lixo com parte dos dejetos espalhados no chão.

Em um dos três lagos há uma mina entupida e, em dias de calor, crianças aproveitam para nadar e adultos para pescar, mesmo com a proibição destas atividades no espaço. “Pesco aqui a mais de 10 anos e consigo muitos peixes. Ontem peguei um enorme!”, afirma o motorista José Tito, 60.

X

Já o parque do Planalto, localizado na Serra de Mailaski, 40, oferece aos moradores playgrounds em razoáveis condições de uso. Na entrada há rochas, mato e parte do solo está cavado por causa de obras de captação de águas pluviais, o que dificulta a localização de quem está na estrada Ernestina Vieira.

“Disseram que aqui é grande, mas é pequeno e não tem muitas árvores”, diz o pedreiro Adelson Teodoro, 37.

Há três quadras poliesportivas no espaço, porém todas estão sem redes. Há, também, uma pequena quadra de areia e equipamentos de ginástica.

Ao lado da histórica aldeia de Carapicuíba, o parque da Aldeia, na avenida Marginal do Ribeirão, 5.400, permite ao frequentador ouvir os pássaros da região. Moradores também aproveitam para deitar na grama em frente a um grande lago, com vista para paisagem.

Contudo, os frequentadores cobram mais melhorias. “Os brinquedos das crianças estão quebrados, falta segurança e limpeza. Já fui assaltada aqui”, conta a vendedora de cachorro quente Efigênia André, 50

De difícil acesso para quem chega pelo viaduto Vereador Jorge Julian, o parque estadual Gabriel Chucre está localizado na rua Consolação, 505, no centro de Carapicuíba e ao lado da Fatec (Faculdade de Tecnologia do Estado). O espaço é plano, limpo, conta com placas e painéis de sinalização e centro cultural. Também possui nove quadras poliesportivas, sendo uma de vôlei de areia e outra de tênis.

A instalação Circuito do Tietê, com pedras grandes no chão, sinaliza, como uma bussola, alguns municípios vizinhos. O local é muito visitado por skatistas, já que conta com uma pista para a prática do esporte. Há bebedouros, banheiros, áreas de ginástica e pista de cooper.

Frequentadores também podem estudar em baixo de quiosques com mesas e bancos, mas um deles está pichado.

Questionada sobre a ausência de profissionais de segurança e limpeza nos parques, a Prefeitura de Carapicuíba se limitou a informar que realiza diariamente estes procedimentos. Disse, ainda, que a manutenção dos equipamentos é realizada sempre quando há necessidade.

 

Anderson Ferreira, 25, é correspondente de Carapicuíba
@anderson2908
andersonferreira.mural@gmail.com

Blogs da Folha