Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Carapicuíba comemora aniversário com atraso em obras de terminal de ônibus

Por Blog

O município de Carapicuíba, na Grande São Paulo, completa hoje 49 anos de emancipação, porém, a população sofre com a demora do novo terminal de ônibus. Atrasada há um ano e dois meses, a obra, que está localizada em frente a estação Carapicuíba da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), tem causado transtornos a aproximadamente 100 mil moradores que circulam diariamente pelo local.

Após a demolição de dois terminais na região, ônibus municipais de duas companhias de transporte e veículos intermunicipais da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos de São Paulo) desembarcam passageiros nas proximidades do número 282 da avenida Governador Mário Covas, principal via de ligação entre Carapicuíba e as cidades de Osasco e Barueri.

“As obras estão devagar, mas é necessário interditar algumas coisas para poder construir. No início era ruim, agora as pessoas já estão acostumadas”, afirma o carpinteiro, José Basílio, 66, que mora há 34 anos na cidade.

Constantemente, moradores saem dos coletivos e caminham rapidamente em direção à calçada da avenida, que conta com 10 cones de sinalização para distanciar os veículos dos pedestres.

X

Vendedores ambulantes nos arredores da construção dificultam o trajeto das pessoas e o atraso das obras contribui para o comércio local.

“É ótimo para quem trabalha na rua. Quanto mais demorar, melhor, mas na visão das pessoas é ruim. Carapicuíba nunca tem benefício e esse é um grande avanço. É algo viável que demora e interfere na rotina do povo”, conta a vendedora de roupas Daniele Santiago, 30, que trabalha nas proximidades do local.

“Não houve diálogo com a prefeitura, parece que estão estudando uma proposta para trabalharmos aqui”, compartilha.

Por conta das interdições, quem chega à cidade por meio da estação de trem tem andar até a praça das Bandeiras, onde há terminais improvisados. A reportagem do Mural acompanhou a cozinheira Maria do Carmo, 47, que mora no Roseira Parque e, que diariamente, faz o trajeto até chegar ao ponto da linha 19 Vila Menk.

“Geralmente gasto 15 minutos para chegar até o ponto de ônibus. É cansativo fazer esse trajeto todo dia e acho que esse terminal deve ficar pronto entre três ou cinco anos”, ironiza.

Para este mês, estava prevista a finalização da primeira parte da construção, que seria a inclusão de uma passagem de nível, uma passarela na avenida Governador Mário Covas e, por fim, o terminal de ônibus.

Carapicuíba, que segundo estimativa do IBGE tem 387.788 habitantes, é considerada cidade dormitório. Diariamente, moradores saem do município por meio do transporte público para trabalhar ou estudar fora, principalmente na capital paulista.

Procurada, a Prefeitura de Carapicuíba não se manifestou sobre a conclusão das obras.

Anderson Ferreira, 25, é correspondente de Carapicuíba
@anderson2908
andersonferreira.mural@gmail.com

 

 

Blogs da Folha