Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

No aniversário de Mairiporã, moradores ressaltam pontos positivos da cidade

Por Blog

Encravada na Serra da Cantareira, ao norte da região metropolitana de São Paulo, a cidade de Mairiporã completa hoje 125 anos de sua emancipação.

Com cerca de 90 mil habitantes, o município tem quase metade dos moradores nascidos em outros lugares, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Muitos saíram do Sul de Minas Gerais e da capital paulista, em busca de tranquilidade e contato com a natureza, sem perder a conveniência de morar próximo da maior cidade do país.

X

Apesar de enfrentar boa parte dos problemas comuns de cidades metropolitanas, é difícil encontrar um morador que pense em se mudar. Para o intérprete forense Rafael Nascimento, 22, Mairiporã é uma cidade privilegiada.

“Além de ser um lugar maravilhoso para se morar, o município tem vantagens, como os esportes radicais. A proximidade com São Paulo é vantajosa, por termos o acesso aos produtos e serviços de lá.”

Em seus momentos de folga, Nascimento costuma frequentar o Pico do Olho D’água, ponto mais alto de Mairiporã, e as trilhas de downhill, como a Saracura, que desce do pico em direção à represa Paiva Castro, outro patrimônio da região.

Com o intuito de mostrar e valorizar estes e outros locais da cidade no mês de seu aniversário, o professor Ronaldo Silva, 18, participou da organização de passeios turísticos para alunos da escola pública João Puga Dias, em Terra Preta, distrito de Mairiporã.

A escola passou a ter período integral recentemente, possibilitando os passeios.

“É muito importante para os alunos conhecerem mais o município em que moram e apreciar lugares que não são do seu convívio social”, afirma Silva.

Para Fernando César Brandão, 36, que preside a Associação de Desenvolvimento Turístico da cidade, esse tipo de conscientização é essencial para preservar o que o município tem de melhor e criar identidade e orgulho nos moradores.

“Para a preservação desses atrativos é preciso uma sensibilização de que somos uma cidade turística em desenvolvimento, e de que antes de tudo ela tem que ser boa para seus moradores”.

 

Humberto Müller, 23, é correspondente de Mairiporã
@lagomuller
lagomuller.mural@gmail.com

 

Blogs da Folha