Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Movimento organiza protestos por integração no transporte em Osasco

Por Blog

Quase um ano depois de as ruas do centro de Osasco, na Grande São Paulo, terem sido tomadas por manifestações pela redução do preço da tarifa no transporte, a prefeitura decidiu pagar subsídio às empresas de ônibus para manter o preço da passagem em R$ 3. Contudo, a falta de integração no transporte municipal deve levar a protestos no mês que vem na cidade. Um deles, inclusive, já está marcado para 13 de junho.

O subsídio, inédito na cidade, foi anunciado no momento em que o sindicato dos motoristas de Osasco ameaça entrar em greve. A paralisação está marcada para quarta-feira (21) e será decidida um dia antes.

O ato marcado para 13 de junho é organizado pelo coletivo Osasco Contra o Aumento (OCA), ligado também ao Movimento Passe Livre (MPL). Por enquanto, 71 pessoas confirmaram presença. Dentro das reivindicações estão a circulação dos ônibus durante 24 horas e a integração.

“É um absurdo você não ter acesso a sua própria cidade”, afirma a organização, que atua desde o fim de 2012, e que tem como objetivo final a tarifa zero. Sem desconto, o trajeto entre zona sul e zona norte de Osasco custa R$ 6.

A assistente de administração Jéssica Rabelo, 19, não pretende participar dos protestos, mas avalia que a integração é necessária. “Como para minha casa, são só duas linhas, se tivesse integração, eu teria mais opções e chegaria mais rápido”, diz. Ela mora no bairro do Recanto das Rosas, zona sul da cidade, e esperava no domingo (18) há uma hora um ônibus para o bairro. “É demorado e no fim de semana piora”, reclama.

Protestos por melhorias no transporte público devem ocorrer em Osasco
Protestos por melhorias no transporte público devem ocorrer em Osasco. (Foto: Paulo Talarico)

Segundo a prefeitura, 35% dos passageiros desembarcam dos veículos para pegar os trens da CPTM com destino à capital e outras cidades –trajeto que também não é integrado. No plano de governo apresentado na eleição de 2012, tanto o bilhete único, quanto o bilhete integrado com a CPTM foram prometidos.

No anúncio feito pela prefeitura sobre o subsídio, a administração afirma que, em 2013, o prefeito Jorge Lapas, “junto com prefeitos da região Oeste, [havia] liderado um movimento que resultou na redução das tarifas de ônibus”. “Só teve a redução porque tinha muita gente [nos protestos]”, rebate o OCA.

Naquele mês de junho, foram três reduções nos preços. Primeiro, de R$ 3,30 para R$ 3,20, igualando a tarifa de São Paulo. No dia 19, Osasco teve seu principal ato, com 8 mil pessoas. Só então vieram os reajustes para R$ 3,10 e R$ 3, com a renúncia de R$ 2 milhões em impostos das concessionárias. A estimativa é que o subsídio custe R$ 5 milhões – equivalente a R$ 0,15 por passageiro, segundo a administração.

INTEGRAÇÃO EM ESTUDO

A prefeitura afirmou por meio de nota que o plano diretor de transporte está sendo “readequado” e que está sendo aberta licitação para contratar uma empresa especializada no setor para “análises com vistas a proporcionar uma rede maior, mais ampla, moderna e de maior qualidade na cidade”. A gestão diz ainda que “existe a possibilidade de haver integração entre os ônibus que circulam dentro de Osasco por meio de um sistema tronco-alimentado, [mas] os estudos estão sendo realizados”. Sobre a integração com a CPTM, ressaltou que “é preciso ampliar os diálogos e estabelecer convênios com o Governo do Estado de São Paulo para avançar na questão”. Sobre a lotação e demora, alegou que têm sido colocados nas ruas “mais veículos para suprir a demanda excessiva”.

Paulo Talarico, 24, é correspondente de Osasco.
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Blogs da Folha