Casa de Cultura do Itaim Paulista ensina dança de rua há vinte anos

Por Blog

A Casa de Cultura do Itaim Paulista, na zona leste, tem um dos poucos espaços na cidade que mantém, desde 1994, uma oficina que ensina dança para moradores da região. “A dança de rua é a única atividade da Casa de Cultura que nunca parou, salvo uma vez em que a caixa de força foi roubada”, lembrou a agente cultural Patrícia Alves, 40, que trabalha no local há 22 anos.

Para os b-boys, como são chamados os dançarinos da modalidade, é difícil encontrar espaços seemelhantes em outras regiões da Grande São Paulo. Lá, vão praticantes de Guarulhos, Ferraz de Vasconcelos, Itaquaquecetuba, Poá, Mogi das Cruzes, Suzano e até do interior do estado.

Um dos b-boys mais antigos é Gilson Silva de Jesus, 33, mais conhecido como Cidinho. Morador de São Miguel Paulista, bairro vizinho, ele utiliza o local há 13 anos e já virou instrutor. “Aqui não tem burocracia para entrar, praticar, ensinar e é isso que nos deixa a vontade”, afirma.

Casa de Cultural do Itaim Paulista ensina dança de rua para moradores. Foto: Vander Ramos
Casa de Cultura do Itaim Paulista ensina dança de rua para moradores. Foto: Vander Ramos

Os resultados são vistos em várias competições do gênero em nível estadual, nacional e internacional. A troca de experiência entre os praticantes revela outros campeões que, mesmo não morando no bairro, nunca deixam de frequentar a oficina.

“Cresci nesse espaço e, com meu grupo [BioAllStars], consegui representar o Brasil em competições na Europa. Fomos finalistas no programa ‘Se Ela Dança Eu Danço’ (SBT) e ganhamos o campeonato mundial em Dunkerque, na França no ano passado, sendo o primeiro grupo brasileiro a ganhar lá”, conta o b-boy Lucas Galante, 20, mais conhecido como Luca.

Oficina que dá aulas de dança para moradores da zona leste existe há mais de vinte anos. Foto: Vander Ramos
Oficina que dá aulas de dança para moradores na zona leste existe há vinte anos. Foto: Vander Ramos

As mulheres também participam dos treinos, mas a grande maioria é de homens. Eles dizem que o medo de não se saírem bem é o que intimida as mulheres. A estudante Adriele dos Santos, 16, confirma. “Venho desde o ano passado e frequento sempre. Acho que eles mandam tão bem na dança que ficamos com receio de errar, mas estou levando a sério e quero fazer uma carreira como b-girl”.

A Casa de Cultura do Itaim Paulista foi a primeira aberta em São Paulo e em abril deste ano completou seu 29º aniversário. Ela foi o único centro cultural aberto por meio de de reivindicações da sociedade civil, graças a mobilização de dois coletivos culturais: CAM (Cultura e Arte em Movimento) e EADEC (Espaço Aberto ao Desenvolvimento Cultural) no início dos anos 1980.

A oficina de dança de rua acontece na rua Barão de Alagoas, 340, no Itaim Paulista, zona leste. Informações sobre as aulas podem ser obtidas pelos números 11 2568-3329 ou 11 2963-2742.

Renata Asp, 23, é correspondente de Itaquera
@renataasp_
renataasp.mural@gmail.com

Vander Ramos, 54, é correspondente do Itaim Paulista
@vander521
vander.mural@gmail.com

SAIBA MAIS

– Espetáculo de dança tem última apresentação no Capão Redondo
– Espetáculo de dança estreia com 30 jovens do Campo Limpo
– Evento reúne dança e teatro em Mogi das Cruzes