Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Professora cria ‘vaquinha on-line’ para apresentar artigo sobre funk, nos EUA

Por Blog

“Uma colega de trabalho me sugeriu pedir ajuda à Valeska Popozuda, já que a ideia central do meu artigo parte das músicas dela”, conta Jaqueline Conceição da Silva.

Moradora do Jardim Celeste, no Campo Limpo, zona sul de São Paulo, a pedagoga teve sua pesquisa “Só Mina Cruel – Algumas Reflexões Sobre Gênero e Cultura Afirmativa no Universo Juvenil do Funk” aceita em uma conferência na Universidade de Columbia, que ocorre em setembro, nos Estados Unidos. Agora, o novo desafio de Jaqueline é angariar recursos para a viagem aos “States”, como diz.

Aos 28 anos, casada e mãe de dois filhos, Jaqueline trabalha com literatura numa escola de ensino médio em Paraisópolis, também na zona sul, e tem vivenciado um misto de alegria e agonia após a aprovação de seu artigo, que aborda a relação entre funk, gênero e juventude negra. Ela trabalha em uma escola privada que atua dentro de Paraisópolis, segunda maior favela de São Paulo, localizada na zona sul.

“Primeiro, fiquei feliz pelo reconhecimento. Depois, triste, porque sei que não tenho grana suficiente para a viagem”, conta. A tristeza, porém, não sobrepôs o otimismo. “Vi a animação da minha família e amigos, e me estimulei”.

Para tornar o sonho da viagem acadêmica possível, Jaqueline decidiu pedir ajuda – não à famosa funkeira, embora se considere fã da artista –, mas a partir da criação de uma “vaquinha on-line”.

Com o financiamento coletivo, a pedagoga pretende arrecadar R$ 3.700, até o dia 10 de agosto, necessários para cobrir os custos da viagem. “As passagens e um lugar para dormir ficam em torno de R$ 2.700. Há, ainda, os gastos com alimentação, transporte, passaporte, visto e afins. Mas para essas outras coisas estou fazendo os ‘corres’”, afirma.

Jaqueline Conceição, 28, teve artigo sobre funk aceito em evento na Universidade de Columbia, nos EUA (Foto: Arquivo Pessoal)
Jaqueline Conceição, 28, teve artigo sobre funk aceito em evento na Universidade de Columbia, nos EUA (Foto: Arquivo Pessoal)

O artigo aceito na conferência internacional faz parte da dissertação defendida por Jaqueline neste ano na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), onde se titulou mestre em Educação.

“Enquanto feminista, sempre me senti inquieta com o conteúdo explícito das músicas de funk que, entre um verso e outro, expõem os limites do prazer, da droga, do crime e da vida na periferia entre os sonhos de consumo dos jovens que produzem e consomem este produto cultural”.

Para ela, é uma “sensação estranha” poder pisar em terras nova-iorquinas alguém que sequer pensou em ir ao Paraguai. “Que mundo doido. Posso sair do Campo Limpo rumo à Nova York para apresentar um trampo sobre funk para os gringos”, orgulha-se. “Meus amigos estão se mobilizando, meu tio vai me ajudar com o inglês, os ‘bang’ de passaporte e visto estão no forno”.

A conferência “Herbert Marcuse and the Legacy of One-Dimensional Man” ocorre em 29 de setembro, em comemoração aos 50 anos do livro “One Dimensional Man” (chamado “Ideologia da Sociedade Industrial – O Homem Unidimensional”, no Brasil) do sociólogo Herbert Marcuse.

“É um livro importante para os pesquisadores da Teoria Crítica da Sociedade. E a proposta do encontro é aglutinar pesquisas que partam do pensamento marcusiano para analisar a sociedade”, conclui Jaqueline.

Vagner de Alencar, 27, é correspondente de Paraisópolis
@vagnerdealencar
vagnerdealencar.mural@gmail.com

Blogs da Folha