Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Escolinha de futebol oferece aulas gratuitas para jovens da Vila Clara

Por Blog

Educar para a vida e não apenas para o esporte. Esse é o objetivo do Nascer (Núcleo Assistencial, Social, Cultural e Esportivo Ramar). Idealizado pelo corretor de seguros Marcelo Carvalho, 44, e pelo professor de educação física Rafael Silva, 30, o projeto acontece em um campo de terra batida da rua Rolando Curtis, na Vila Clara, zona sul de São Paulo.

A ideia de criar uma escolinha de futebol partiu de Marcelo em 2006. “Espalhei a notícia pelo bairro e convidei o professor Rafael. Cheguei com uma bola e oito garotos”, recorda.

Hoje, oito anos depois, o Nascer tem cem inscritos. As idades variam entre 7 e 18 anos e os garotos são divididos em categorias: sub-9 (até nove anos), sub-11, sub-15 e sub-18.

Há ainda a categoria Sport, time formado por adultos que iniciaram na escolinha quando eram adolescentes. Os treinos acontecem todos os sábados, das 8h às 12h30.

Por ser gratuito, o projeto sobrevive de doações. As bolas e coletes utilizados no treinamento foram doados pelos próprios treinadores, comerciantes locais, pais de alunos ou adultos da categoria Sport.

Projeto Nascer existe há oito anos e foi criado por moradores
Projeto Nascer existe há oito anos e foi criado por moradores

Segundo Marcelo, o projeto Nascer vai além do futebol. “Até brinco que não precisamos fazer faculdade de psicologia”, afirma, ao citar que já teve até conversa com um garoto que estava com problemas por causa de uma namoradinha.

“Mantemos o caráter esportivo, mas sem perder a essência de educar”, afirma Rafael. Entre as ações educativas, estão o diálogo constante com os jovens e o acompanhamento das notas escolares.

Estar matriculado em alguma instituição de ensino, aliás, é fundamental para quem deseja participar da escolinha de futebol.

O estudante Matheus Bomfim, 14, é um exemplo de como o projeto é atrativo para os adolescentes. O aspirante a goleiro, que sonha em ser um jogador de futebol profissional, não arruma desculpa para encarar os 35 km que separam sua casa do local de treinamento.

Morador de Parelheiros, zona sul de São Paulo, ele gasta uma hora e meia de viagem todos os sábados. “Eu morava aqui perto. Hoje, saio de casa 5h30, pego três ônibus e chego aqui 7h”, conta o garoto, que coloca crédito em um bilhete único dado pelo professor Rafael.

Para se inscrever na escolinha, os adolescentes interessados devem comparecer ao local e apresentar certidão de nascimento, RG e CPF dos pais, comprovante de residência, declaração de saúde do SUS e um comprovante de matrícula escolar.

Diogo Marcondes, 27, é correspondente de Cidade Ademar
@Diogomarcondes
diogo.mural@gmail.com

Blogs da Folha