Geladeiras grafitadas incentivam literatura na Grande São Paulo

Por Blog

Desde o início de setembro, geladeiras coloridas têm chamado a atenção dos moradores de Mairiporã, na região metropolitana de São Paulo.

Trata-se do Projeto Geloteca, que transformou os objetos em estantes de livros para a população.

A ideia surgiu na Secretaria Municipal de Educação, Esportes e Cultura, por meio da Oficina Pedagógica de Mairiporã.

Com o intuito de incentivar a literatura e a troca voluntária não é necessário cadastro, nem mesmo identificação para retirar os livros.

Qualquer pessoa pode utilizar as geladeiras, que estão espalhadas em locais de grande movimentação no município, como a Casa do Empreendedor, o Terminal Rodoviário e unidades de saúde no centro e também no distrito de Terra Preta.

Antes de serem disponibilizadas para a população, as geladeiras foram revitalizadas por alunos de uma oficina de grafite.

A estudante Amanda Santos de Almeida, 18, foi uma das alunas da oficina e teve a oportunidade de ver sua arte exposta.

“Eu acho super interessante a ideia. É um modo de reutilizar as geladeiras que estavam abandonadas e também um jeito de a gente mostrar nossa arte pela cidade”, diz.

Uma semana após o inicio do projeto, a geladeira da UBS central de Mairiporã estava visivelmente mais vazia do que as outras.

X

Segundo a recepcionista do local, Maria Cleusa Emídio, 41, isso ocorre devido ao sucesso que o projeto está fazendo. “Os pacientes estão adorando, já tem muita gente levando pra casa, falando que vai trazer novos livros. Achei muito bom”, conclui.

Para a Secretária da Educação de Mairiporã, Eli Barbosa Lima, 48, o Projeto Geloteca reúne muitos benefícios.

“Não é só a questão do acesso a literatura, mas também da reutilização das geladeiras que muitas vezes são descartadas incorretamente, sem falar no incentivo para a cultura através do grafite.”

Lima vê com otimismo o futuro do projeto e diz acreditar na expansão para outros pontos da cidade.

“Queremos expandir a Geloteca. Nosso objetivo é que a troca de livros seja uma coisa natural entre as pessoas, que passe a fazer parte da rotina do município e que assim chegue cada vez mais longe.”

A secretaria está aberta à doações de geladeiras, porém é necessário que  estejam em bom estado de conservação tanto para uma maior durabilidade do projeto, quanto para facilitar a pintura.

Interessados em doar podem entrar em contato através do telefone 11 4604-4730.

Humberto do Lago Müller, 23, é correspondente de Mairiporã
lagomuller.mural@gmail.com
@lagomuller

SAIBA MAIS:

– Em São Miguel Paulista, livros são pendurados em árvores

– Bar em Itapevi realiza exposições de arte e troca de livros

– Periferia de SP se destaca em Feira do Livro de Buenos Aires