Cursinho promove ‘vaquinha’ para transporte dos alunos

Por Blog

Em São Paulo, um cursinho pré-vestibular resolveu recorrer a uma “vaquinha” virtual para garantir transporte aos alunos.

O Cursinho da Poli, que já concedia bolsas de estudos para os alunos de baixa renda, quer, agora, garantir a frequência dos alunos por meio de uma mobilização pela internet.

“A instituição concluiu que mesmo com as bolsas de estudos, os alunos não conseguem assistir às aulas, devido ao alto custo do transporte”, explica Gilberto Alvarez, diretor do Cursinho da Poli.

Até as 23h de quarta (17),  o Cursinho da Poli conseguiu 17% da meta estipulada de R$ 12 mil. A quantia é necessária para garantir a locomoção de 248 alunos divididos em três unidades, todos bolsistas. No total, a instituição tem 3 mil alunos. Se a meta não for alcançada, todo o dinheiro será devolvido.

As doações podem ser feitas por este site.

A estudante Vanessa Aragão, 21, é bolsista e concilia os estudos na unidade de Santo Amaro, zona sul, com o trabalho como operadora de telemarketing em Interlagos. Ela está em dúvida entre prestar vestibular para os cursos de Publicidade ou Relações Internacionais.

Moradora do bairro Cantinho do Céu, na zona sul da capital, a estudante reclama do transporte no bairro. ”Tenho que fazer uma caminhada de 20 minutos para chegar no ponto. As ruas também não ajudam, são intransitáveis”, relata Vanessa, que utiliza três ônibus por dia e gasta R$ 120 por mês com transporte para ir ao cursinho, cuja mensalidade é de R$105.

A estudante Vanessa Aragão é bolsista no cursinho.
A estudante Vanessa Aragão é bolsista no cursinho

Vanessa fez o ensino fundamental e o médio na rede pública. A decisão de voltar a estudar veio dois anos depois de se formar. Esse é o primeiro ano de cursinho dela, que mora próximo ao CEU Navegantes e lamenta o fato de não poder estudar para o vestibular no local. “Alguns CEUs têm programas de capacitação maravilhosos, o do meu bairro não”.

A assessoria de imprensa da Secretaria Municipal da Educação, afirmou, por meio de nota, que mantém parcerias com o MSU (Movimento dos Sem Universidade)  para a preparação de estudantes para o Enem. Atualmente o projeto é realizado nos CEUs de Campo Limpo, Capão Redondo, Sapopemba, Paraisópolis, Azul da Cor do Mar, Água Azul, Parque São Carlos, Cidade Dutra, Perus, Jambeiro e Jardim Paulistano. As aulas são gratuitas.

Raphael Preto, 19 é correspondente da Vila Guilherme.
@RaphaelPreto1
raphaelpreto.mural@gmail.com