Pais criam instituto na zona norte para homenagear filho falecido

Por Blog

Lucas Dias de Souza era ativo, tinha pressa desde criança e aprendia a fazer muitas coisas sozinho. Aos 17 anos, já trabalhava com os pais numa confecção da família e fazia de tudo um pouco: de criação de logo a entregas.

Na escola, participava de visitas a asilos e creches. Sempre que o jovem ia ao Jardim Corisco, na zona norte de São Paulo, para deixar materiais com as costureiras, ele observava as crianças na rua. Um dia, o jovem disse aos pais que eles tinham que fazer alguma ação social. Lucas morreu em 2009, aos 19 anos, em um acidente de carro.

Um ano após a morte do filho, os pais do jovem, Arlete Dias de Souza e Célio Ribeiro de Souza, pensaram em uma forma de realizar a ação social que ele tinha sugerido. Assim começaram a fazer festas entre amigos para arrecadar alimentos e auxiliar diversas instituições. Com o tempo, decidiram criar o Instituto Lucas Dias de Souza, em homenagem ao filho.

“Quando fiz as primeiras festas era muito dolorido. Eu pensava que se meu filho estivesse vivo eu não estaria fazendo aquilo, mas continuei e hoje tenho amor pelo que faço, pelas crianças”, explica Arlete, 50, mãe de Lucas.

Arlete e o filho Lucas, que faleceu em um acidente de carro (Arquivo pessoal)
Arlete e o filho Lucas, que faleceu em um acidente de carro (Arquivo pessoal)

Em abril de 2013, o Instituto começou a funcionar no Jardim Corisco. A organização funciona aos sábados, das 10 às 15h; o público alvo são crianças de 4 a 14 anos.

O espaço possui uma brinquedoteca com brinquedos arrecadados por Arlete como presente em um de seus aniversários. Com ajuda de voluntários, ocorrem no Instituto aulas de violão, balé, judô e jiu-jitsu. Há, ainda, palestras de orientações de saúde, cuidado e higiene pessoal.

O instituto recebe também doações de mantimentos, roupas e objetos. Os alimentos compõem cestas básicas entregues mensalmente para 30 famílias cadastradas. As roupas e objetos são vendidos em um bazar e a renda é revertida para manutenção do espaço.

Lucas fazia aulas de teclado na escola de música Destaque Música e Dança, localizada no Tucuruvi. Por meio de um projeto solidário, a escola está  arrecadando doações de alimentos não perecíveis para o Instituto Lucas Dias da Silva até o dia 11 de outubro.

Aulas de balé no Instituto Lucas Dias de Souza (Divulgação)
Aulas de balé no Instituto Lucas Dias de Souza (Divulgação)

“Nós da escola temos o comprometimento com a construção de um mundo melhor e fazemos isso por meio de projetos e ações como a arrecadação de alimentos, na qual os integrantes da família destaque estão sempre prontos para participar e ajudar”, explica a sócia e professora da escola, Marlene Herrero, 35.

“Antes eu não fazia esse tipo de trabalho, evitava ver o sofrimento das outras pessoas, mas um dia o sofrimento veio até mim e eu não tinha para onde fugir. Hoje levo essas crianças para campeonatos de judô e torço por elas como uma mãe torce pelos filhos”, relata Arlete.

Para contribuir com doações, os alimentos não perecíveis podem ser entregues até o dia 11 de outubro na Escola Destaque Música de Dança, na avenida Guapira nº 264, no Tucuruvi, ou diretamente no Instituto Lucas Dias de Souza, na rua Kotinda nº 520, no Jardim Corisco.

 Aline Kátia Melo, 31, é correspondente da Jova Rural
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com