Passageiros levam horas para chegar à votação em Cidade Tiradentes

Por Blog

Pouco mais de 12 km separam os bairros de Itaquera e de Cidade Tiradentes, ambos na zona leste de São Paulo. Distância que pode significar intermináveis 50 minutos nos dias comuns e que no domingo de eleição (26) parecia ainda maior.

Me mudei recentemente para a Cohab José Bonifácio, em Itaquera, mas sempre morei na Cidade Tiradentes. Como não transferi meu título de eleitor, este ano precisei tomar ônibus para votar.

Perto das 11h saí de casa e em meia hora estava no ponto da rua São Teodoro, onde pretendia pegar a lotação 3787/10 Cidade Tiradentes. Sob chuva forte, fiquei por aproximadamente 40 minutos esperando a lotação e nada.

Por volta das 12h15, desisti de esperar e resolvi pegar qualquer uma que passasse na avenida Ragueb Chohfi, onde teria outras opções até o bairro.

Peguei a 3739/10 Recanto Verde do Sol e desci na avenida. O ponto estava lotado. A primeira lotação Cidade Tiradentes que passou foi a 3789/10, a qual vinha de Itaquera e estava completamente cheia. Entrei. Eu e muitos.

Passageiros aguardam ônibus na zona leste no último domingo (Foto: Regiany Silva)
Passageiros aguardam ônibus na zona leste no último domingo (Foto: Regiany Silva)

Na parada seguinte, mais passageiros entraram e muitas mães com crianças e idosos se apertavam. Uma das passageiras reclamava alto “Estou há mais de 40 minutos esperando a 87”. Outros reforçavam o coro.

Uma mulher de pé na parte da frente pedia lugar, dizia estar passando mal, mas todos os bancos estavam ocupados por passageiros preferenciais e ninguém se levantou, mesmo diante do apelo dela, que afirmava ter sofrido um aborto recentemente. Mas ficou de pé por mais 30 minutos de viagem.

Devia ser mais rápido, se não fosse o trânsito que travava a avenida. Perto de mim, a cuidadora Cleide Maria Nascimento, 49, questionava: “Não é nossa obrigação votar? Então por que o governo não garante ônibus suficiente pra atender a gente? Hoje transporte deveria ser gratuito”.

Por volta das 13h20, finalmente cheguei na minha antiga escola, onde voto. Junto comigo desceu da lotação a aposentada Piedade Eredes Moura, 68, antiga moradora do bairro, mas que hoje mora no Grajaú, zona sul.

Ela saiu de casa às 8h30 – foram dois ônibus, duas linhas de metrô e uma lotação até Cidade Tiradentes. Sem obrigação do voto pela idade, ela gastou quase cinco horas de viagem para cumprir seu direito e desejo de votar. “No primeiro turno eu não pude vir porque estava com as pernas muito inchadas, mas hoje estou bem, precisava vir ajudar a Dilma”, revelou.

Entramos juntas e cada uma seguiu para sua seção,  em que cumpriríamos a missão final de nossas viagens. Apenas dois dígitos depois, lá estávamos, na rua, satisfeitas e prontas para a longa viagem de volta.

Nos encontramos no ponto e tomamos a mesma lotação  que, surpreendentemente, era a 3787/10 sentido Itaquera.

Regiany Silva, 25, é correspondente da Cidade Tiradentes
@regianysilfre
regianysilva.mural@gmail.com