Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Em Mogi das Cruzes, grupo de amigos cria coletivo para fotografar a cidade

Por Blog

Com o intuito de divulgar a sua cidade, sete amigos e moradores de Mogi das Cruzes, região metropolitana de São Paulo, se uniram para formar um coletivo de fotografia. Criado há dois meses, o “@everydaymogi” utiliza as redes sociais para mostrar cenas cotidianas do local.  Hoje, eles já contam com mais de 600 curtidas na página do Facebook e  300 seguidores no Instagram.

Segundo o jornalista Pedro Chavedar, 25, que deu início ao grupo, a inspiração surgiu a partir de outros projetos mundiais, como o “@everydayafrica”, “@everydayusa” e “@everydayasia”. “Há vários perfis que fazem essa fotografia diária em vários cantos no mundo”, contou.

De acordo com o coletivo, o projeto tenta fazer com que as pessoas reflitam um pouco mais sobre o lugar onde moram. “Estamos rodeados de gente boa, trabalhadora e bonita por todos os lados. Essas histórias precisam ser contadas e nós usamos o clique como ferramenta”, afirma o designer Ederson Fungaro, 32, integrante do coletivo.

Fazem parte do projeto: Pedro Chavedar, Warley Leite, Nicholas Modesto, Alex Tavares, Erike Fusiki, Guilherme Silva e Ederson Fungaro. Nem todos vivem de fotografia. Muitas das fotos são feitas após o horário de trabalho ou durante uma folga que os amigos tenham no seu dia.

“Tentamos mostrar visões diferentes sobre Mogi. [Lugares] onde as pessoas geralmente passam  todos os dias,  mas nunca notaram o que realmente tem ali”, defendeu o arquiteto Erike Fusiki, 25. Segundo ele, a cidade possui muitos atrativos que não são divulgados ou que as pessoas não conseguem enxergar no seu cotidiano.

X

Para o estudante Nicholas Modesto, 20, o “@everydaymogi” tenta apresentar uma visão diferente da cidade, mostrando ao público que Mogi possui outras coisas além de pontos turísticos ou históricos. “Existem coisas simples que também representam a nossa cidade, seja um barbeiro, um trabalhador, ou até mesmo uma paisagem ou fotografia de rua.”

O coletivo também ajuda a informar os moradores da região por meio das imagens.  O estudante Alex Tavares, 18, que faz parte do projeto, contou que durante um incêndio na cidade, um dos integrantes conseguiu registrar o que estava acontecendo e publicou as fotos minutos depois. “Muita gente ficou sabendo do incêndio por meio de nós. Isso gera uma certa ‘credibilidade’ e, consequentemente, mais atenção em nossas fotos.”

Isabela Rezende, 20, projetista, começou a acompanhar o grupo pelo Instagram. Para ela, o perfil é muito bom para quem mora em Mogi e quer saber o que acontece na cidade. “Não sou muito atenta em política. Alguns fatos como a passagem de políticos pela cidade, eu só soube pelo projeto.” diz.

“Gostamos de fotografar e com isso, quem sabe, [conseguiremos] abrir os olhos de algumas pessoas com nosso trabalho e com nossas imagens.” conclui o vendedor Guilherme Silva, 30.

O coletivo tem uma página no Tumblr que também serve como fonte de divulgação.

Jéssica Suellen, 24, é correspondente de Mogi das Cruzes.
@JessicaSuellen_
jessicasuellen.mural@gmail.com

SAIBA MAIS
Moradores montam páginas na internet para contar história de Osasco
Jovens do Alto Tietê criam brechó virtual
Privado: Após mobilização na internet, espaço cultural em Suzano é reaberto

Blogs da Folha