Caminhada reúne música e ecologia para crianças em Mairiporã

Por Blog

Alunos da rede pública de Mairiporã, na Grande São Paulo, fizeram uma caminhada diferente nas últimas semanas. Eles participaram de atividades que misturavam audição e a contemplação da natureza. Trata-se do Passeio Sonoro, iniciativa que une música e educação ambiental.

A ação foi organizada pelo projeto ‘Caminhos Sonoros’, que trabalha o conceito de ecologia sonora com alunos e professores. A ideia é buscar a melhora na forma como as pessoas interagem com o ambiente por meio da percepção auditiva.

“Além de nos mostrarem os diferentes instrumentos musicais de forma descontraída, pudemos cantar, ouvir histórias, tudo com muita música”, conta o educador  Ronaldo Silva, 18, da escola João Puga Dias.

Foi possível assistir a pequenos concertos musicais, conhecer mais sobre a Mata Atlântica e entender os problemas que a Serra da Cantareira enfrenta, como queimadas, falta de água e poluição sonora provocada pelas rotas de aviões. [Veja na Galeria]

X

A dançarina Luanna Jimenes, 35, fez uma intervenção artística com o som do vento. “O que essas crianças passaram aqui, vendo e ouvindo coisas em um lugar tão diferente é um encontro muito rico”, avalia.

O local escolhido foi o Parque Jussara Ambiental, reserva que integra diversos corredores ecológicos e possui inciativas de conservação de espécies, reflorestamento e monitoramento acústico de fauna.

“A maioria dessas crianças dificilmente teria a oportunidade de topar com um instrumento como o oboé por exemplo, muitas não sabem o que é”, ressalta o violinista Diésney Leite, 35. “Mas elas têm vontade de conhecer. É uma experiência para a vida toda”, completa.

O Projeto Caminhos Sonoros surgiu em 2011 e é coordenado pela pianista Anna Claudia Agazzi desde 2011, e é uma extensão para músicos da UNESP, Universidade Estadual Paulista, onde alguns participantes são voluntários e moradores da cidade.

Também há parceria da prefeitura e o Instituto Holcim, empresa de extração mineral, por meio de leis de incentivo fiscal dos governos estadual e federal.

A ação tem ainda uma atividade programada para a última semana deste mês, quando haverá uma mostra cultural que pretende reunir parte das ações realizadas durante os quatro anos do projeto.

Humberto do Lago Müller, 23, é correspondente de Mairiporã
lagomuller.mural@gmail.com
@lagomuller

SAIBA MAIS:

Grupo usa latas recicladas para levar música a Osasco

População cobra manutenção em principal parque de Mairiporã

Moradores de Mairiporã reivindicam criação de parque ecológico na cidade