Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Correios cria prazo ‘diferenciado’ para zona norte de SP e não entrega Sedex

Por Blog

Moro no Jardim Felicidade, na zona norte, há 16 anos. Costumo fazer compras pela internet que são entregues pelo correio. Pela primeira vez, tive de pegar um ônibus e ir até uma agência na região do Tucuruvi para retirar uma encomenda de Sedex, cujo serviço foi pago para ser entregue com rapidez na minha residência, mas não tive nenhum dos dois serviços: nem entrega nem rapidez.

O andamento das encomendas pode ser acompanhado pelo site dos Correios por meio de um código composto de 13 dígitos, composto de quatro letras e nove números. Nesse acompanhamento constava a seguinte mensagem: ‘área com distribuição sujeita a prazo diferenciado’.

Essa mensagem me gerou um sentimento de frustração. Sentimento parecido com o da funcionária pública Ana Cristina Gomes, 36, que também mora no Jardim Felicidade. “Quando vim morar neste bairro, há 20 anos, aprendi a não usar o endereço daqui para receber encomendas. Pensei que mudaria com o tempo, que chegaria o dia em que eu não precisaria mais dar o endereço de uma tia para que me entregassem o que quer que fosse, mas não mudou”, desabafa.

Consultei o meu CEP no site dos Correios em uma ferramenta de simulação de preços e prazos de entrega e encontrei a seguinte informação: O CEP de destino está sujeito a condições especiais de entrega pela ECT e será realizada com o acréscimo de até sete dias ao prazo regular.

Contudo, minhas encomendas ficaram paradas além desse prazo. Telefonei  várias vezes no 0800 para acompanhar os protocolos de reclamação. Para entrar em contato com a Ouvidoria dos Correios é necessário utilizar o número de protocolo, porém se o protocolo estiver em aberto não é possível dar seguimento no contato com a Ouvidoria.

Fiz duas reclamações no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) referente as duas entregas que não foram efetuadas e que ficaram vários dias sem atualização no portal. Uma delas veio da cidade de Ilhabela, postada em 22 de outubro e outra foi dentro da cidade de São Paulo postada dois dias antes. Estamos na segunda quinzena do mês de novembro e uma delas ainda não foi entregue.

Serviço dos Correios tem prazo diferenciado para determinadas regiões. Foto: Reprodução/Correios
Serviço dos Correios tem prazo diferenciado para determinadas regiões. Foto: Reprodução/Correios

A primeira delas está parada desde 23 de outubro, teve uma tentativa de entrega em 7 de novembro, depois de 15 dias sem atualização. Só consegui retirar em uma agência no dia 12, 21 dias depois do envio. Desde 27 de outubro a segunda encomenda ficou parada e teve uma tentativa de entrega em 8 de novembro. Depois de 12 dias sem atualização, está parada novamente há nove dias.

Outra moradora do bairro, a professora Andréia Firmo, 27, só recebeu o serviço após reclamar. “Demorou muito pra entregar. Liguei nos Correios, disseram que precisava de escolta pra entregar no bairro. Achei um absurdo, pois minha encomenda era de medicamentos. Quando expliquei isso, me recomendaram a reclamação. Entrei em contato com o remetente para que ele efetuasse a reclamação. Depois disso, entregaram em dois dias”, conta.

Ana também reclama do prazo e tem uma estratégia para receber antes. “Hoje uso o endereço do meu trabalho, num bairro nobre, sempre que preciso”, conclui. “Os Correios demoram 10 vezes mais tempo que o normal para fazerem um Sedex chegar aqui, alegando que é uma área sujeita a risco”, acrescenta.

Segundo a assessoria de imprensa dos Correios “para evitar que as encomendas sejam roubadas e para garantir a segurança dos trabalhadores e clientes”, a empresa adotou provisoriamente “medidas preventivas com restrição de entrega domiciliar em determinadas áreas, conforme estudo da área de segurança da empresa”.

A empresa alega que a distribuição de cartas continua normalmente e que, durante o período de restrição, “o destinatário recebe um comunicado para buscar a sua encomenda em uma unidade de Correios mais próxima de seu endereço” e que esse “modelo de entrega é informado ao remetente no ato da postagem”.

Entretanto, as remetentes das duas encomendas disseram não ter recebido essa informação no ato da postagem. E eu mantive contato com elas já que para registrar reclamação é necessário ter endereço do destinatário e do remetente, e CPF deste último. Uma das vendedoras ficou sem qualificação, pois o site em que ela faz as vendas dá o prazo de 21 dias para qualificação do vendedor, prazo que levou para o objeto chegar até minhas mãos.

Aline Kátia Melo, 31, é correspondente da Jova Rural
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com

SAIBA MAIS
Carteiros da zona norte não chegam ao bairro Jardim Paraná
Mercado imobiliário cresce mas Pirituba ainda sofre com serviços públicos
Moradores  cobram avanços em serviços públicos

Blogs da Folha