Jaraguá é tema de exposição fotográfica na Casa da Imagem

Por Blog

“Sempre dá para ver o Jaraguá na fresta de um prédio”, resume o fotógrafo Caio Reisewitz, sobre sua visão do ponto mais elevado da cidade e seus 1.135 metros de altitude. E o local é tema de sua mais recente exposição em cartaz na Casa da Imagem, na Sé, até o dia 7 de Dezembro.

A mostra exibe imagens do pico em diversas perspectivas. Alguma delas são do falecido fotógrafo Joaquim Reis, selecionadas e tratadas por Reisewitz, que  encontrou as fotografias em uma feira de antiguidades, e se tornaram objeto de pesquisa de seu mestrado.

Além disso, a curadoria cita o pintor Jorge Furtado de Mendonça (1879 – 1933), como ponto de partida para a concepção da mostra.

Tema recorrente em seus trabalhos, as paisagens retratadas por Caio Reisewitz são marcadas pela sua exatidão técnica, e apresentadas muitas vezes em  fotografias de grande formato. Combinada à exuberância do Jaraguá (“ponta proeminente”, “protetor do vale”, na língua tupi-guarani) a intenção é que o espectador perca a noção da temporalidade nas obras, tamanho o contraste com a paisagem cinza que estamos habituados a enxergar.

Morros fazem parte da exposição “Jaraguá”, de Caio Reisewitz (Foto: Divulgação)
Morros fazem parte da exposição “Jaraguá”, de Caio Reisewitz (Foto: Divulgação)

Reisewitz revela que o tema da exposição foi concebido há dez anos. “Um dia estava fotografando o gabinete da prefeitura e me deparei com uma pintura do Jorge de Mendonça. Aí eu pensei que um dia poderia fazer uma exposição só sobre o Jaraguá”.

Ele ainda conta que conhece o local desde criança, quando subia a Serra da Cantareira com o pai. “Isso marca muito. Sempre olhei o Jaraguá, toda a minha vida”, exalta.

O auxiliar administrativo Rafael Rocha Lima da Silva, de 30 anos, resolveu conferir a exposição justamente pela temática. “Pelo fato de morar na região, é sempre bom visitar alguma exposição que retrate a nossa realidade, nossa paisagem. Deveria ter sempre isso”, pontua.

A exposição, inclusive, aguçou sua vontade de conhecer mais a fundo a história do bairro. “Gostei de ver os quadros; mas acho que deveria falar mais da história do pico e do entorno. Seria interessante.”

A Casa da Imagem localiza-se na rua Roberto Simonsen, 136-B, próxima da estação Sé do metrô. A exposição vai até o dia 7 de dezembro das 9h às 17h. A entrada é franca.

Jéssica Costa, 23, é correspondente de Taipas
@eujessicacosta
jessicacosta.mural@gmail.com

SAIBA MAIS
– 
Moradores fazem manifestação contra queimadas em parque no Jaraguá
– Desenhos de crianças de Paraisópolis são tema de exposição na USP
– Exposição em SP busca retratar periferias do Brasil