Moradores da zona norte pedem pista de skate e mais uma subprefeitura

Por Blog

Nas últimas semanas, a Câmara Municipal de São Paulo realizou sessões públicas na zona norte da capital como parte do programa Câmara no Seu Bairro. Apesar de a maior parte do tempo gasta com as falas dos próprios vereadores, moradores levaram demandas como a construção de unidades de saúde, instalação de pistas de skate e mais uma subprefeitura.

No sábado (28), o teatro do CEU Jaçanã recebeu a 4ª edição, correspondente à região da subprefeitura Jaçanã/ Tremembé. O evento reuniu aproximadamente 500 pessoas, entre moradores e líderes comunitários, com o público composto por homens e mulheres de todas as idades.

Da Câmara estavam 20 vereadores e o presidente da Casa, dos quais, apenas sete ficaram até o final – 33 não compareceram.

Mesmo assim, durante uma hora e meia, a população presente apenas ouviu as falas dos legisladores, os quais tinham cinco minutos a disposição, enquanto cada morador sorteado teria três. Marcado para 9h30, a reunião teve início às 10h. A partir das 11h30 começou o espaço para 30 pessoas de 50 cidadãos inscritos para comentários e reclamações.

Moradores pedem áreas de lazer e uma pista de skate no Jaçanã (Aline Kátia Melo/Blog Mural)
Moradores pedem áreas de lazer e uma pista de skate no Jaçanã (Aline Kátia Melo/Blog Mural)

As reivindicações passaram por temas como habitação, transporte, meio ambiente, espaços de lazer, a condição do Hospital Municipal São Luiz Gonzaga e a falta de Unidades Básicas de Saúde nos bairros Jova Rural e Jardim Fontális, entre outros.

“Não vimos ninguém do bairro por aqui, além de nós três”, contou a aposentada Argentina Senhorinha Ribeiro, 67, da Jova Rural. “Nos organizamos e fizemos um abaixo assinado para pedir a construção da UBS Jova Rural”, informou a aposentada Benedita do Carmo Toledo, 65.

“Há três dias, fui na subprefeitura para saber o que precisava para pedir uma pista de skate e fiquei sabendo desse evento. A gente não tem um lugar, a escola tem aula e se a gente vai para a rua tem carros, é perigoso. Se ando perto de casa, os vizinhos brigam”, afirmou o estudante Daniel da Silva Carvalho,18.

“Acho importante o que a gente está fazendo, reivindicar um espaço para a cultura, a melhoria para o bairro. Não adianta só reclamar, só apontar os defeitos e não vir reivindicar, mostrar o que está acontecendo para os vereadores”, finaliza o agente comunitário Fábio de Almeida Custódio, 28, também em apoio aos skatistas.

SUBPREFEITURA

Pirituba, Parque São Domingos, Jaraguá, Vila Aurora, Taipas e Vila Zatt. Segundo moradores e lideranças desses bairros, uma região tão extensa, que sofre com o “esquecimento” do poder municipal, não pode ficar centralizada em apenas uma subprefeitura.

Essa foi a principal reivindicação durante o “Câmara no seu Bairro”, realizada no sábado (21), pela região da subprefeitura Pirituba/Jaraguá. O evento também atrasou e teve início às 10h e lotou o auditório do CEU Pêra Marmelo, na Vila Aurora, com cerca de 250 moradores.

Cerca de 750 pessoas participaram das últimas sessões (Aline Kátia Melo/blog Mural)
Cerca de 750 pessoas participaram das últimas sessões (Aline Kátia Melo/blog Mural)

Muitos dos 30 sorteados para falar eram líderes de associações, aliados políticos e militantes. José Garcia de Souza, do conselho participativo municipal, reivindicou mais uma subprefeitura para a região de Parada de Taipas, para dar  mais autonomia nas decisões do bairro. A solução seria criar uma subprefeitura para Jaraguá (contemplando Taipas) e outra para Pirituba.

Outros temas também foram levantados como a dengue. “Já liguei pra subprefeitura, pra agência sanitária, hospital das clínicas. São 640 litros de água contaminada. Eu não sei o que fazer, e ninguém pode me ajudar, dizer o que faço”, disse uma dona de casa na tribuna.

Alguns moradores não sabiam a distinção entre o que é feito pela prefeitura, governo estadual e governo federal com queixas sobre a falta de segurança, do hospital estadual e de processos com a CDHU.  “[A sessão]  não é momento para citar vereadores ou lideranças. É hora de olhar para nós, moradores. Eles vão, e nós continuamos aqui. Vamos fazer eles trabalharem”, conclui o morador Cláudio Costa. As próximas sessões estão disponíveis no site da Câmara. 

2015-03-28 13.00.53
DESTINO DAS DEMANDAS: As solicitações feitas pelos cidadãos nas sessões públicas seguirão dois caminhos: serão encaminhadas para os órgãos competentes, como secretarias e a prefeitura, quando são obras e manutenção da cidade; ou à Câmara Municipal de São Paulo, caso possam ser transformadas em projetos de lei. No legislativo, ela passará por diversas etapas: receberá um número, tornando-se um projeto de lei (PL), que será lido no plenário e o presidente da Casa decide por quais comissões o projeto precisa passar. Após a tramitação, ele fica pronto para a pauta de votação, e entrará em discussão quando for definido pelo presidente e pelas lideranças partidárias. Ele será discutido em duas votações e os vereadores poderão encaminhar emendas e substitutivos que modifiquem a proposta original. Aprovado, segue para a avaliação do prefeito. Se tiver o aval do mandatário, a lei é publicada no Diário Oficial do Município. Caso contrário, a Câmara pode arquivá-lo ou derrubar o veto do prefeito e promulgar a lei. Não há prazo para todo o processo.

 

Aline Kátia Melo, 31, é correspondente da Jova Rural
@alinekatia
alinekatia.mural@gmail.com

Jéssica Costa, 23, é correspondente de Taipas
@eujessicacosta
jessicacosta.mural@gmail.com