Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Encenação da paixão de Cristo se firma como tradição na zona norte da cidade

Por Blog

O enorme estacionamento de uma rede de hipermercado atacadista na Parada de Taipas, zona norte de SP, ficou pequeno na última sexta-feira (3). O local foi palco da 18ª edição do espetáculo “Paixão de Cristo”, organizado pelo Grupo Teatral Arte de Viver (GTAV), da Paróquia Nossa Senhora das Dores.

A peça já é uma tradição no bairro e, dada sua relevância, faz parte do calendário oficial de eventos da Prefeitura de São Paulo. O diretor da apresentação e fundador do GTAV, Roberto Bueno, relembra o início das atividades em 1996, quando os ensaios eram feitos atrás da Paróquia.

“Começamos pequenos, nos apresentando dentro das missas. A maioria dos atores é voluntária e cresceu encenando a Paixão de Cristo. Fomos nos profissionalizando e estudando pra chegar aonde chegamos hoje”.

X

E o hoje é bem diferente de 18 anos atrás. Com um público estimado em 6 mil pessoas, e formado não só por católicos, muitos vêm conferir o show de atuação, de luzes e os números de dança – e Bueno confirma isso. “Estamos aqui também para entregar uma mensagem de arte e cultura que não temos na região. Muitos moradores de Taipas nunca foram ao teatro”, enfatiza.

Contudo, algumas tradições não se perdem. Na encenação de Cristo a caminho do calvário, a peça torna-se itinerante e passeia pelo bairro. Forma-se uma corrente humana ao redor do intérprete de Jesus e, na frente, um trio elétrico com a presença do bispo conduz a procissão.

Wellington Victor, 24, seminarista, acompanhou a manifestação e comenta: “embora as pessoas não tenham uma convivência maior com a fé, percebo que elas reagem bem a esse tipo de proposta”.

Para o futuro, o grupo busca conseguir entrar no calendário orçamentário da Prefeitura, visto que a verba ainda é por conta deles – e mostra que o pique para os preparativos é de escola de samba. “Terminando a peça de hoje, semana que vem nos reunimos pra pensar no ano seguinte”, adianta.

A peça foi realizada, além da GTAV, por outros coletivos culturais, como a Cia. de Teatro da Paróquia S. Luis de Montfort, Comunidade Missão da Paz, e pelo Ministério das Artes da Paróquia Ns. Sra. de Fátima, todos da região Pirituba / Jaraguá.

Jéssica Costa, 24, é correspondente de Taipas
@eujessicacosta
jessicacosta.mural@gmail.com

SAIBA MAIS
Peça sobre paixão de Cristo lota ginásio em Barueri, na Grande SP
Coletivo recria a Baixada do Glicério em peça de teatro
Lixo, consumismo e rolezinho são temas de peça de teatro na zona norte

Blogs da Folha