Na zona sul, repórteres amadores contam histórias da periferia

Por Blog

“Buscamos destacar um olhar positivo nas reportagens com o que de melhor acontece na música, teatro, esporte, literatura nas comunidades”. É desta maneira que Thais Siqueira, 30, define o “Você repórter da periferia – VRP”, projeto realizado na zona sul de São Paulo.

Os jornalistas e moradores do Jardim Ângela, Ronaldo Matos, 27, e Thais Siqueira, 30, junto ao diretor de audiovisual Raphael Poesia, 22, idealizaram o projeto em 2013, quando já administravam e escreviam para o blog “Desenrola e não me enrola”, voltado a divulgar personagens e histórias da periferia.

O VRP consiste em oficinas de produção de conteúdo por meio de oficinas práticas e teóricas de técnicas de comunicação, fotografia, redes sociais, produção de eventos e assessoria de imprensa. O projeto tem o apoio do programa VAI – Valorização de Iniciativas Culturais, da Prefeitura de São Paulo.

Grupo do projeto "Você repórter da periferia" realizando entrevistas em São Mateus, zona leste de São Paulo (Créditos: Divulgação)
Grupo do projeto “Você repórter da periferia” realizando entrevistas em São Mateus, zona leste de São Paulo (Créditos: Divulgação).

Em sua primeira edição, entre maio e dezembro do ano passado, os organizadores abriram 20 vagas; 15 foram preenchidas, mas no decorrer do curso, o grupo se reduziu a seis membros, formado por pessoas de diferentes regiões da cidade.

A enfermeira Érika Campelo, 41, moradora de Santo André na época,  soube da divulgação pelas redes sociais e participou com o marido, e com a boa recepção e o desejo de aprender mais, se integrou na continuação do projeto.

“A importância é a quebra de paradigmas. A periferia pode se sobressair e possuir uma linguagem própria e ter sua identidade mantida”, ressalta a repórter, que fez a cobertura da 7ª Mostra Cultural da Cooperifa.

Parte do trabalho do coletivo foi a realização do 1º Congresso de Escritores Periféricos na Fábrica de Cultura do Jd. São Luis, na zona sul de São Paulo, evento com cobertura da reportagem do Mural.

“Temos escritores maravilhosos, escultores, fotógrafos, entre muitos outros artistas e precisamos divulgar o que há de melhor”, afirma Érika.  “A maior parte da imprensa tradicional não divulga as ações positivas que acontecem nas periferias”, ressalta Thais.

O Pagode da 27 do Grajaú, zona sul de São Paulo, contou com a cobertura do projeto.
O Pagode da 27 do Grajaú, zona sul de São Paulo, contou com a cobertura do projeto (Créditos: Divulgação).

As inscrições para a turma de 2015 estão abertas até o dia 20 de maio. O projeto aceita inscrições de pessoas de qualquer região da cidade de São Paulo que tenham a partir de 16 anos. Os interessados devem enviar um e-mail para desenrola@desenrolaenaomenrola.com.br  com nome completo, telefone, bairro e idade.

Após o envio dos dados, é preciso aguardar as instruções para o processo de matrícula das oficinas que serão realizadas aos sábados, das 13h às 15h30, no Núcleo Educacional FiloCzar – Escola Livre de Filosofia, Ciência e Arte – localizada na rua Durval Guerra de Azevedo, 511 – Pq. Santo Antônio, zona sul de São Paulo.

Quer receber as notícias do Mural por email? Cadastre-se

Lucas Veloso, 20, é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com

SAIBA MAIS:

No Campo Limpo, vivência leva público a se aproximar do bairro

Jovens criam projeto para contar histórias no transporte público em SP

‘Ser mulher e ser da periferia é duas vezes mais difícil’, diz coletivo