Escritório compartilhado reúne empreendedores na zona leste

Por Blog

Empreendedor social, engenheiro, especialista em marketing digital, fotógrafo e representante comercial. À primeira vista esses profissionais podem não ter muita coisa em comum, mas estão mais próximos do que parece: todos compartilham um mesmo escritório no bairro da Penha, zona leste de São Paulo.

Seguindo o modelo de co-working, escritórios compartilhados que se tornaram tendência no mundo corporativo, o Ecoworking reúne empreendedores da região em uma gestão compartilhada.

A ideia de montar um escritório colaborativo surgiu no final de 2011, quando o engenheiro Rafael Henrique Rodrigues, 31, decidiu deixar o emprego para fundar uma organização sem fins lucrativos voltada para sustentabilidade. Trabalhando em casa, quando morava na Mooca, zona leste, e fazendo reuniões em cafés, ele sentiu a necessidade de ter um escritório próprio.

Na época, sua família sugeriu ocupar a casa que pertenceu aos avós, no bairro da Penha. No entanto, o imóvel era muito antigo e precisaria de reformas. Além disso, Rafael teria que bancar os gastos de água, luz, internet e telefone. “Sozinho eu não conseguiria pagar, mas pensei que outras pessoas também deveriam precisar de um espaço profissional”, lembra.

Em janeiro de 2013, após uma concepção coletiva, começou um escritório compartilhado sem fins lucrativos na zona leste. Por um valor mensal que varia entre R$ 200 e R$ 300, os empreendedores dividem todas as despesas necessárias para manter uma infraestrutura de trabalho com baixo custo. No espaço, eles contam com estações de trabalho, salas de reunião, cozinha, local para relaxar e até mesmo um quintal com área verde.

X

Morador de Guaianases, Kleber Willian, 31, presta serviços na área de web design e marketing digital para empresas de pequeno porte. Procurando um espaço para empreender fora de casa, ele decidiu recorrer ao escritório compartilhado.

Segundo ele, ao buscar por esses espaços, percebeu que eles estavam muito concentrados na região central e na zona sul. “Tem muita gente querendo empreender aqui na zona leste e as vezes precisa se deslocar para lá. Iniciativas que apoiam empreendedores locais trazem benefícios para a própria região”, defende Kleber, que está há quase dois anos no Ecoworking.

“Muita gente precisa empreender e não consegue fazer a decolagem por causa de infraestrutura. Eu quero que essas iniciativas permeiem todos os lugares da cidade”, afirma Rafael, fundador do espaço.

O espírito colaborativo foi outro fator que motivou Aline Krajuska, 22, representante comercial, a buscar um escritório compartilhado. “Esse negócio de não ter sala individual é ótimo. Se eu tenho uma dúvida, pergunto para alguém. Dá uma sensação de união entre as pessoas que trabalham aqui. ”

Há um mês no espaço, ela afirma que a proximidade também foi importante para sua escolha. “Eu moro aqui perto [na Penha] e muitos espaços de co-working que encontrava estavam longe”, comenta a representante.

Ver a casa onde os avós moravam servir de auxílio para o crescimento de negócios na região é bastante simbólico para Rafael. “Eu passei boa parte da minha infância vindo para cá. É legal ver o espaço que eles construíram gerando um monte de coisa boa hoje”, diz.

Quer receber as notícias do Mural por email? Cadastre-se

Marina Lopes, 23, é correspondente da Penha
@marina_lopesmf
marinalopes.mural@gmail.com