Museu do Jaçanã recebe mostra de pintor nigeriano

Por Blog

O museu do Jaçanã dá uma guinada em sua trajetória e recebe, de 4 a 19 de julho, a primeira exposição individual de sua história.  A mostra “Elas, Brasil África”, com pinturas em acrílico do nigeriano Chikezie Paul, 44, abre o novo espaço de arte na zona norte paulistana.

Em 32 anos de atuação, o museu promoveu raros eventos culturais, dedicando-se à preservação da memória regional, com um acervo permanente de fotos e objetos do bairro do Jaçanã, a maioria doados pela comunidade. O local também é referência quando o assunto é o Trem da Cantareira, o famoso “Trem das Onze”, da música de Adoniran Barbosa.

X

Além de inaugurar o espaço, o museu tem planos audaciosos, incluindo um novo prédio para a sede. Para isso, a atual comissão organizadora, presidida pelo fundador Sylvio Bittencourt, 84, firmou parceria com a Etec (Escola Técnica Estadual).

A exposição de Chiquezie Paul constrói cenas de mulheres afro-brasileiras, em tons vivos e fortes. “Já conheci a fome, mas expresso na arte a alegria de minhas raízes africanas e do país que escolhi pra viver”, diz.  As pinturas mesclam suas experiências de vida, transitando desde a infância na cidade nigeriana de Lagos, passando por uma aventura adolescente no deserto do Saara e chegando à periferia da Grande São Paulo.

Formado em Artes Plásticas na Nigéria, ele está há 19 anos no Brasil, onde casou e tem dois filhos. “Incentivado pelos meus pais, desde pequeno fazia desenhos a lápis”, afirma o artista, cujo nome tem o significado tribal de “Deus me criou bem”.

Morador de Guarulhos, ele usa materiais recicláveis para fazer as molduras e telas das pinturas e expõe em locais cedidos por amigos e conhecidos. São lojas, restaurantes e até salão de beleza, na zona norte e em Guarulhos.

Ele revela já ter encontrado pessoas que compraram suas telas como investimento. “Elas esperam que eu morra para que as pinturas sejam valorizadas. Quero ser reconhecido bem antes”, comenta, aos risos.

No dia da abertura (4), a mostra terá uma oficina de brinquedos, com confecção de bonecas de pano Abayomi, usando técnicas de origem africana. As crianças serão estimuladas a participar e poderão levar as peças para casa. Apresentações de música brasileira também estão programadas. Entre clássicos do piano e chorinho, destaque para “Trem das Onze”, canção que popularizou o Jaçanã.

A próxima exposição do museu já está agendada para o dia 1° de agosto. Os artistas Clesio Porto, 26, e Gabriele Rangel, 20, da Vila Medeiros (zona norte), pretendem transformar até o espaço físico da mostra em obra de arte. As peças expostas serão criadas com materiais inusitados – “da pintura tradicional até onde a mente alcança”, dizem.

Museu do Jaçanã – Espaço Sezarina Serrano. R. Benjamin Pereira, 1021, Jaçanã, São Paulo, SP. Tel. (11) 2241-4286. Exposição Elas, Brasil, África, abertura: sáb. (4): 13h. Visitas: ter. a dom.: 10h às 17h. Oficina de Brinquedos, sáb. (4): 13h às 15h. Música: Tardes Chorosas, sáb. (4): 14h30 às 18h. Livre. Grátis.

Sidney Pereira, 59, é correspondente de Vila Maria

@sidneypereira00
sidneypereira.mural@gmail.com

Versão expandida de dica publicada no Guia Folha em 3/7/15.

SAIBA MAIS:

Museu do Jaçanã exibe nova fachada e sedia debate sobre circos na periferia

Museu do Jaçanã pede doações para concluir reforma de prédio

Em homenagem ao pai, moradora resgata memória do Jaçanã