Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Festival une grupos culturais da Baixada do Glicério

Por Blog

A mobilização de vários moradores da Baixada do Glicério, na região central de São Paulo, resultou no último fim de semana no festival ‘Glicério pela Vida’. Com ações culturais e esportivas, oficinas, escolas para formação de músicos, os organizadores querem criar um coletivo para mudar o panorama do bairro.

“O festival por muito tempo será lembrado como o início de uma luta que está por vir: a de diminuir as vulnerabilidades sociais por meio da cultura, da coletividade, do sonho de um lugar melhor e de um discurso que seja plural”, afirma Diego Moreira, 30, morador da região.

Ele foi um dos organizadores do evento e é educador no projeto “Direitos Humanos no Viaduto” voltado às pessoas em situação de rua. “O evento fortalece o diálogo e a articulação dos moradores”, completa.

O festival teve a apresentação de artistas do bairro e foi aberto pelo Batuq do Glicério, bloco carnavalesco conduzido por Alex Souza que busca retomar a cultura dos carnavais de rua.

X

“Isso deveria acontecer sempre”, diz João Almeida Moura, 36, morador da Baixada, que seguia para o mercado e parou para prestigiar o bloco.

Um dos convidados foi Akins Kintê, idealizador do ‘Sarau do Kintal’ que pediu a palavra e fez um protesto contra a violência. “Vou falar um poema aqui na humildade e sem maldade”, diz. “Os PM que nos caçam, coçam as armas e não cansam e caçoam dos genocídios de massa… declarada a guerra, e essa guerra nos agarra”, termina.

Um dos moradores do Glicério que articulou o evento foi o personal trainer  Vinícius Almeida, 26, membro do APNS do Brasil (Agentes de Pastorais Negras do Brasil). “É um processo de transformação para a vida, para a educação, para a cultura. Não concordamos com processos que ferem direitos”, diz.

A articulação envolveu outros atores importantes para o Glicério como Di Função, rapper da região, rapper JD, Nayana Brettas, fundadora da CriaCidade e coordenadora do Projeto Fala Criança e Alex Sandro Duarte de Santana, membro do Instituto de Palhaços da cidade de São Paulo.

“Todo mundo está no mesmo propósito. Acreditamos num processo que seja coletivo e contra todos os tipos de violência. Lutamos pela vida no Glicério”, explica Almeida.

O festival integra o Mês da Cultura Independente e trouxe várias atrações [vejas nas fotos]. A ideia é promover outros festivais e criar uma sede para o coletivo que está em formação. “Estamos em um processo de formulação. Estamos no corre”, expõe Almeida. “A ideia da sede é ser um local para formação de lideranças”, completa Nayana Brettas.

Quer receber as notícias do Mural por email? Cadastre-se

Carina Barros, 30, é correspondente do Glicério
@carinabarros
carinabarros.mural@gmail.com

Blogs da Folha