Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

‘Estação de lata’ da CPTM completa 5 anos em Francisco Morato

Por Blog

Há cinco anos uma inauguração é motivo de lamentação para os quase 170 mil habitantes de Francisco Morato, uma das cidades mais dependentes do transporte sobre trilhos na região metropolitana de São Paulo.

Desde 7 de novembro de 2010, os moradores convivem com uma estação improvisada para acessar os trens da Linha 7-rubi, no lugar da antiga estrutura que atendia à região.

Prometida há mais de cinco anos pela CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), a construção da nova estação no centro está longe de ser realidade. O local foi apelidado pelos moradores de “estação de lata”. Usuários que vão ou voltam da Estação da Luz, em São Paulo, dividem a mesma plataforma com os que seguem viagem para Jundiaí.

“Temos uma estação insegura e que não comporta a quantidade de pessoas que a utilizam. A estação anterior não era boa, mas era muito maior. Para nossa população, que é trabalhadora, sai cedo e volta tarde de outras cidades, é uma vergonha”, afirma o funcionário público Dalmir Ferreira, 19.

X

Para acessar a plataforma ainda é preciso cruzar a linha do trem em uma passagem estreita ou enfrentar o caminho alternativo pelas escadarias.

Chamam a atenção os “puxadinhos”, obras de acessibilidade feitas nos últimos anos que completam o cenário de improviso. A CPTM afirma que um problema judicial causou o atraso.

A estação antiga, que contava com mais plataformas, ainda existe, mas não é utilizada desde o fechamento para as obras da nova estrutura.

No último dia 7, uma equipe de reportagem da cidade também tratava do assunto com os moradores. Eram o cinegrafista Lucas Varjão, 20, e a estudante e repórter Stefane Barauna,19.

Os dois fazem parte da equipe do Morato Repórter, uma página nas redes sociais com apenas nove meses de existência, que aborda temas da cidade.

“Vejo como um descaso com a população, estações que começaram as obras depois, como Vila Aurora e Franco da Rocha, já estão prontas e nós daqui ainda não temos previsão”, afirma Varjão.

CPTM

Questionada, a CPTM informou que a obra foi paralisada em 2014 pela Justiça a pedido da empresa vencedora da licitação. “O processo judicial foi extinto somente em outubro deste ano com a rescisão do contrato com a Heleno & Fonseca”. Agora, a Companhia está elaborando o edital da nova licitação, com previsão de publicação no próximo anoA CPTM diz lamentar os transtornos provocados pela discussão judicial.

“Para garantir o atendimento à população até que a nova estação seja entregue, a companhia implantou uma estação provisória, com manutenção frequente, dotada de rampas de acesso para atender pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida bem como de pessoal capacitado para orientar e auxiliar os usuários em sua locomoção”, diz a nota.

Humberto Müller, 25, é correspondente de Mairiporã
@lagomuller
lagomuller.mural@gmail.com

Blogs da Folha