Ministério do Samba e Alceu Valença fazem show para celebrar aniversário de Osasco

Por Blog

Leonardo Escobar, 32, é economista do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos). Quando estava no mestrado, há cinco anos, ele se juntou a um grupo de amigos para tocar samba para a divulgação de um bar na cidade de Osasco, na Grande São Paulo, município que completa 54 anos de emancipação nesta sexta (19).

O bar Escondidinho hoje não funciona mais, mas o grupo seguiu em frente e se apresenta neste sábado (20), às 18h, na festa de aniversário da cidade e abrem o show que terá a apresentação de Alceu Valença. O cantor pernambucano, autor de sucessos como “Morena Tropicana”, “La Belle de Jour” e “Anunciação” sobe ao palco às 20h.

Foi da economia que veio a inspiração para o nome do conjunto: Ministério do Samba. “O pessoal ficava brincando de ministério por conta de economia, vamos fazer o ministério porque os ministérios têm uma especialidade”, conta Escobar.

No caso deles, a especialidade era justamente o ritmo. “Em cima disso, a gente desenvolveu a ideia de carregar a bandeira da cultura brasileira. Porque temos um repertório muito variado, é uma banda do Estado de São Paulo, mas não toca só samba paulista, toca samba de diferentes épocas e das diferentes regiões do país”, completa.

A sambista Bernadete ao lado do Ministério do Samba (Gonzalo Cuellar/Divulgação)
A sambista Bernadete ao lado do Ministério do Samba (Gonzalo Cuellar/Divulgação)

Na apresentação no show de aniversário de Osasco, o grupo fará uma homenagem a outra cantora que também é moradora do município: Bernadete, presidente da Ala Musical da Unidos do Peruche.

A cantora conheceu o Ministério em 2013, quando o grupo comemorava três anos, e aceitou ser madrinha do conjunto. Na apresentação, trarão músicas do disco Jogo da Vida, que a intérprete gravou em 1992.

Entre as músicas do álbum estão clássicos como “Sorriso Negro” (de Jovelina Perola Negra), “Sufoco” (Chico Da Silva / Antônio José) e “Andanças” (Paulinho Tapajós). “Pensamos em fazer um projeto que toque músicas dela e complemente com músicas que ela gosta e que marcaram sua carreira”, comenta Escobar.

Desde que se formou, o Ministério já teve mudanças em sua formação. Hoje é composto por Rafael Kasteckas (coro e cavaquinho), Samuel Silva (coro e violão 7 cordas), Renato Cardoso (baixo), André Gomes Tinoco (coro e trombone), Leonardo Escobar (percussão), Marcelo Barro (percussão geral) e Felipe Kasteckas (bateria).

Formado por moradores e ex-moradores da cidade -Escobar se mudou para a Vila Leopoldina, na capital- os sambistas focaram no profissionalismo. Hoje, Escobar é o único dos músicos que tem uma carreira paralela. Ele considera que há uma forte cena cultural em Osasco, contudo, ainda faltam incentivos.

“Fazemos samba porque a gente gosta, mas ao mesmo tempo, é nosso trabalho”, afirma. “É uma luta nossa tanto em Osasco que é uma cidade que tem uma cena cultural muito boa, muito grande, com vários grupos bons, mas que a gente não tem muito espaço para tocar. Tem muitos bares, mas não tem valorização do trabalho do músico.”

Arena Concha Acústica  Fito – av. das Flores, 701, Jd. das Flores, Osasco, SP. Tel. (11) 3184-0900. Sáb. (20): 18h. Livre. Grátis.

 

Paulo Talarico, 25, é correspondente de Osasco
@PauloTalarico
paulotalarico.mural@gmail.com

Dica postada no Guia Folha de 19/2/16.