Site propõe mapear eventos da cultura negra em São Paulo

Por Blog

No rastro do avanço da cultura negra na cidade de São Paulo, o analista de teste de softwares, Edison Magalhães Rocha, 30, decidiu criar um espaço para centralizar a divulgação dos eventos que ocorrem na capital paulista e na Grande São Paulo.

Júnior, como é conhecido, iniciou assim o portal Agenda Preta. A ideia é divulgar as ações e ainda promover a discussão sobre o tema.

“Pouco estudamos sobre a nossa história, pouco sabemos o que já fizemos e o que fazemos, enquanto negros, pela humanidade. Isso não interessa ao poder. A AP vem pra fazer uma humilde contribuição que vai na contramão disso”, afirma.

Nascido e criado na região de Itaquera, zona leste, Júnior teve o primeiro contato com as discussões raciais dentro da própria casa, por intermédio dos pais que militavam pela causa. Além disso, o pai era metalúrgico e atuou no movimento sindical do ABC, enquanto a mãe participava das  pastorais da Igreja Católica.

Junior Rocha estreou portal no final de 2015 (Foto: Divulgação)
Junior Rocha estreou portal no final de 2015 (Foto: Divulgação)

Mas foi aos 14 anos, por meio do hip hop, que ele incorporou de forma mais intensa a cultura negra, por meio do coletivo Força Ativa, de Cidade Tiradentes, também na zona leste.

“Lá, li meu primeiro livro, cantei meu primeiro rap e tive meu primeiro contato com uma crítica social e racial mais aprofundada. Desde esse tempo me vejo como um militante”, afirma.

Desde novembro com o site no ar, ele já recebeu dezenas de sugestões de eventos, em especial pelas redes sociais.

Até agora, os gastos na AP foram destinados para suprir a necessidade do servidor e do domínio, mas o analista aponta que conforme o público aumente, as despesas irão crescer. Ele ainda avalia como financiar a ação, como parcerias.

Atualmente, o idealizador do projeto conta com um grupo de 15 pessoas, além de quem ajuda pontualmente no envio de sugestões. O portal é dividido em categorias como basquete, carnaval, cinema, cursos e dança.

“Mais eficaz é termos gente que nos envie eventos, sem eles a proposta da agenda fica vazia”, comenta Júnior, que enfatiza sua inspiração em novos movimentos que atuam na cidade.

“Tem muita coisa acontecendo nos becos e vielas do Brasil, muita gente se organizando e construindo um conhecimento, uma cultura e uma forma de viver alternativa. Essas pessoas me inspiram”, conclui.

Lucas Veloso, 20, é correspondente de Guaianases
lucasveloso.mural@gmail.com

SAIBA MAIS:

Projeto registra memória dos moradores de Guaianases

Usuários da CPTM reclamam da falta de acessibilidade na estação Guaianases

Chegada de haitianos muda a rotina de Guaianases