Mural

Blog dos correspondentes comunitários da Grande SP

 -

Blog é escrito por correspondentes comunitários --em sua maioria estudantes ou já formados em jornalismo, mas, sobretudo, interessados em contar o que se passa na região em que moram, na periferia da Grande SP.

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Tarifa de ônibus sobe em Itaquaquecetuba dois meses após promessa do prefeito

Por Blog

Na última segunda (2) os moradores de Itaquaquecetuba, na Grande São Paulo, foram surpreendidos com o anúncio de reajuste na tarifa dos ônibus municipais na cidade, que passou de R$ 3,50 para R$ 3,80. A surpresa foi por conta de uma postagem feita em março pelo prefeito Mamoru Nakashima (PSDB) em sua página no Facebook, onde afirmava que só autorizaria o aumento se houvesse melhoria na qualidade do transporte ofertado pelo Grupo Júlio Simões, único prestador do serviço no município.

“Conversando com a população, uma das principais reclamações na cidade é a qualidade e a demora dos ônibus das linhas municipais. Quero dizer o seguinte: enquanto não melhorar o serviço para a população, não vou autorizar aumento da passagem”, dizia o prefeito na postagem. Apesar da promessa, nenhuma melhoria foi feita no sistema para justificar o reajuste.

Segundo a apuração do Mural, embora o valor da tarifa seja idêntico ao das cidades vizinhas, a qualidade do transporte em Itaquaquecetuba chega a ser inferior.

O grande problema enfrentado pelos moradores é a pouca oferta de ônibus circulando. “Costumo ficar uma hora no ponto aguardando o ônibus. É muita humilhação”, afirma o consultor de negócios Diego Monteiro, 23.

Ao contrário de Suzano e Poá, Itaquaquecetuba não oferece passe livre estudantil. Também não há integração entre ônibus municipais e os trens da CPTM, comum em outras cidades da Grande São Paulo. Isso fez com a que estudante Isadora Matsumoto, 16, desistisse de ingressar em um curso preparatório para o vestibular na Capital. “Meus pais não dão conta de pagar o ônibus para eu fazer o ensino médio e o trem para o cursinho. Pesa muito no orçamento”, conta.

Para evitar as duas passagens para chegar à Capital, muitos moradores substituem o ônibus municipal pelo intermunicipal. “Acabo dependendo do intermunicipal, que possui integração com os trens” conta a operadora de telemarketing Jacqueline Fernandes, 27.

Também pelo Facebook, o prefeito justificou a nova tarifa. “Afirmei que não iria aumentar e segurei o quanto pude, fomos a última cidade do estado a dar o aumento […], mas existe um contrato assinado em 2008 pela administração anterior (do ex-prefeito Armando da Farmácia, do PR) que tem duração de 10 anos e diz que a empresa tem direito ao aumento anual”.

Uma manifestação contra o aumento e reivindicando passe livre estudantil foi convocada pelas redes sociais para a próxima sexta-feira (6), às 14h, na praça central da cidade.

Lucas Landin, 20, é correspondente de Itaquaquecetuba e Poá.
@landinou
lucaslandin.mural@gmail.com

Blogs da Folha